Começa o júri do 'Maníaco da Cantareira' em São Paulo

Começa o júri do 'Maníaco da Cantareira' em São Paulo

Atualizado: Terça-feira, 13 Março de 2012 as 2:12

Começou por volta das 13h50 desta terça-feira (13) o julgamento de Ademir Oliveira Rosário, conhecido como "Maníaco da Cantareira", no Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo.

De acordo com a investigação da Polícia Civil, o réu confessou ter matado Francisco Ferreira de Oliveira Neto, de 14 anos, e Josenildo José de Oliveira, de 13, na Serra da Cantareira em 22 de setembro de 2007. Cinco mulheres e dois homens compõem o Conselho de Sentença.

O julgamento começará com o interrogatório do réu, pois não foram convocadas testemunhas. Antes do início do júri, a mãe dos meninos, Rita de Cássia Alves Oliveira, de 36 anos, comentou sobre as expectativas para o julgamento. “Só espero que a justiça seja feita e ele seja condenado”, disse. Sobre o reencontro com o acusado das mortes, ela afirmou que será muito difícil. “Não sei nem como vai ser. Será difícil. E muito”, afirmou.

Na época do crime, . Naquela ocasião, Rosário cumpria pena em regime semiaberto por outros crimes. Ele também teria abusado sexualmente das vítimas antes de matá-las. O acusado responde ao processo preso.

Os sete jurados irão decidir se Rosário é culpado ou inocente da acusação do duplo homicídio qualificado (por motivo torpe e emboscada que dificultou a defesa das vítimas). Durante o júri, testemunhas da acusação e da defesa do réu deverão ser ouvidas. Posteriormente, o Ministério Público e o advogado do acusado deverão sustentar suas teses diante dos jurados.

A sentença de condenação ou absolvição será dada pelo juiz Gilberto Ferreira da Cruz. O promotor do caso é Eduardo Campana. O G1 não conseguiu localizar o advogado de Rosário para comentar o assunto.

Em 2007, Francisco e Josenildo haviam sumido da casa da família. Os corpos deles foram achados três dias depois, em 25 de setembro, em uma mata próxima a serra. Rosário chegou a ser investigado como suspeito de ter cometido outros crimes idênticos na região, com cerca de 20 vítimas no total.

Quando ocorreram os assassinatos dos irmãos, Rosário cumpria pena em regime semiaberto e deixava o presídio nos fins de semana. Ele já havia sido condenado três vezes: por roubo cometido em 1990, pelo homicídio de um homem ocorrido em 1991 e por atentado violento ao pudor de dois meninos e um roubo que aconteceram em 1998.

veja também