MENU

Começa velório de corpo de violinista do AfroReggae

Começa velório de corpo de violinista do AfroReggae

Atualizado: Sexta-feira, 2 Abril de 2010 as 12

Começou por volta de 11h30 o velório do corpo do menino Diego Frazão Torquato, de 12 anos, violinista do grupo AfroReggae, que morreu com leucemia na quinta-feira (1º).

 O corpo será enterrado às 14h no Cemitério de Inhaúma, no subúrbio do Rio. O coordenador do grupo, José Júnior, informou que durante o velório haverá apresentação da orquestra do AfroReggae. "Não faremos uma despedida, + uma celebração pelo retorno dele ao céu. Parte dos nossos grupos estarão tocando pelo nosso "maestro"", escreveu Júnior no Twitter.

O velório do corpo é realizado numa capela no mesmo bairro.

O menino, conhecido como Diego do Violino  morreu no fim da tarde desta quinta-feira (1°). Um exame realizado na quarta-feira (31) havia apontado que Diego tinha leucemia.

O violinista ficou conhecido ao tocar, muito emocionado e chorando, um violino no enterro do também coordenador do AfroReggae Evandro João da Silva. Evandro foi morto em dezembro do ano passado no Centro do Rio, num caso que ganhou notoriedade por envolver dois PMs.

Diego foi internado por causa de uma infecção generalizada, contraída numa operação de apêndice . No dia 29, ele foi transferido para a UTI pediátrica do Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. 

Num texto que teve o link divulgado no microblog Twitter, Júnior postou uma mensagem lamentando a situação

"Ver o pequeno-grande Diego entubado tendo uma parada cardiaca é de uma dor que não tem como descrever. Ver o Telmo [pai de Diego] gritando pra Deus perguntando o porque desses últimos acontecimentos na sua vida - além do Diego a sua esposa também passa por graves problemas.

"É algo que nos faz questionar e ao mesmo tempo meditar pensando nos designios divinos. Tudo tem um "porque" ou acreditamos ter um "porque". Nosso pequeno-grande Diego esta com leucemia aguda. Se o obstáculo antes parecia grande esse agora virou um desafio gigantesco.

"Não que o pequeno-grande Diego não tenha passado por enfrentamentos de grande porte. Desde muito cedo tudo na sua vida tem sido complicado, agora aos 12 anos não poderia ser diferente. Diego tem como marca pessoal a busca pela superação. Pelo lado do "homem", Diego esta sendo muito bem atendido e está com toda a infra-médica à sua disposição.

"Pelo lado "divino" temos muito coisa pra pedir através de orações, mentalizações e pela fé em busca da reversão desse quadro. Como eu acredito em causas possíveis e impossíveis, eu acredito na recuperação do nosso pequeno-grande Diego.

"Junior, coordenador do AfroReggae"   Liana Leite Do G1, no Rio fonte: globo.com.br   via: www.guiame.com.br

veja também