MENU

Comemoração dos 60 anos da TV reuniu artistas em SP, mas faltou algo: a transmissão

Comemoração dos 60 anos da TV reuniu artistas em SP, mas faltou algo: a transmissão

Atualizado: Segunda-feira, 20 Setembro de 2010 as 10:07

Faltou uma convidada de honra. Uma que está com a televisão desde seu início, uma sem a qual a TV nem sequer faz sentido: faltou a transmissão. "Andei perguntando, mas não houve interesse das emissoras", revela Vida Alves, presidente e criadora da Pró-TV, a Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira ( www.museudatv.com.br ), responsável pela realização da festa de anteontem, que foi gravada.

Mas, se essa lacuna privou os telespectadores em casa, não chegou a ofuscar a festa que comemorou os 60 anos da primeira transmissão da TV brasileira, em 18 de setembro de 1950.

O evento, que teve os ingressos gratuitos esgotados, aconteceu no Memorial da América Latina, em São Paulo, para uma plateia de 1.400 pessoas. Com números musicais, homenagens e muitas histórias, a comemoração reuniu dezenas de artistas e durou três horas e meia.

Gente como Rolando Boldrin, Laura Cardoso, Ronnie Von, Antônio Abujamra, Goulart de Andrade, Silvia Poppovic, Leão Lobo, Silvio de Abreu e Wilma Bentivegna, entre muitos outros, sob direção de Nilton Travesso.

MUSEU

Talvez o momento mais importante da noite tenha sido a cobrança de Hebe Camargo aos políticos convidados para subir ao palco. A apresentadora falou da falta de um museu da TV brasileira e fez o governador Alberto Goldman e o prefeito Gilberto Kassab prometerem colocar dinheiro na obra: "Até o fim deste ano, a semente estará plantada", afirmou o primeiro. "Compromisso firmado", concordou o segundo.

O museu é uma antiga luta de Vida Alves, atriz que deu o primeiro beijo transmitido (em Walter Forster) e que mantém em sua casa grande parte desse acervo histórico.

Lolita Rodrigues, que cantou o hino da TV (encomendado por Assis Chateaubriand) na transmissão original, relembrou a letra, que considera "um horror": "Vingou como tudo vinga/ No teuchão, Piratininga/ A cruz que Anchieta plantou/ Pois dirse-á que ela hoje acena/ Por uma altíssima antena".

Cid Moreira informou que terminou de gravar "a 'Bíblia', do 'Gênesis' ao 'Apocalipse'. Seriam 120 CDs, mas usando DVD e mp3, coube tudo em apenas dois discos. Não é um milagre de Deus?" Ao final, os artistas emocionaram o público lembrando de colegas mortos. "Eu lembro de Walter Clark", começou Regina Duarte. "Eu lembro de Carlos Zara", disse Eva Wilma.

E assim foram sendo lembrados Raul Cortez, Cassiano Gabus Mendes, Roberto Marinho, Paulo Autran, Dina Sfat, Janete Clair, Gianfrancesco Guarnieri.

E então, o público emocionou os artistas, ao começar a gritar seus próprios preferidos: "Dercy Gonçalves!", "Walter Avancini!", "Ronald Golias!", "Mussum!"... Cacildis, foi uma noite e tanto!

veja também