MENU

Comerciante pagou US$ 85 mil por peças de prata, diz polícia

Comerciante pagou US$ 85 mil por peças de prata, diz polícia

Atualizado: Terça-feira, 6 Julho de 2010 as 9:15

O comerciante preso por policiais civis na quinta-feira (1º) na Zona Leste de São Paulo com seis malas cheias de joias e sacos de prata disse que pagou US$ 85 mil pelas peças, que seriam revendidas a diversos comerciantes, conforme disse nesta segunda-feira (5) o delegado Francisco Solano, assistente da Delegacia de Repressão a Roubo de Cargas do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Ao todo, são 154 kg, em joias e in natura , para ser derretida e assim produzir novas peças. O Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) afirma que o preso faz parte de um esquema de entrada ilegal de prata no país que utiliza o Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo. O homem vai responder por descaminho, que prevê pena de prisão de dois a oito anos.

Os policiais chegaram ao preso durante investigação sobre roubo de carga na região. Eles desconfiaram do veículo, um Doblô, conduzido pelo comerciante. No interior do carro, foram encontradas as malas com o material de prata vindo de Bangcoc.

Ele disse à polícia que fazia esse tipo de transporte a cada dois meses. O comerciante é dono de uma empresa de venda de bijuterias na região central de São Paulo há quatro anos. Por mês, o faturamento da empresa chega a R$ 20 mil, segundo o delegado.

A polícia vai investigar agora como as peças de metal foram liberadas no aeroporto sem pagar a taxa de importação. "Informalmente, ele nos disse que havia pago R$ 500 a uma pessoa para que a carga lhe fosse entregue diretamente depois de sair do avião", disse Solano. Além disso, a polícia vai investigar para quais comerciantes a prata seria repassada.

veja também