MENU

Comércio de Manaus já fatura com enfeites natalinos

Comércio de Manaus já fatura com enfeites natalinos

Atualizado: Sexta-feira, 28 Outubro de 2011 as 3:23

Lojistas de Manaus se anteciparam e já oferecem produtos natalinos para os consumidores de Manaus. A tendência é que residências e empresas devem estar completamente enfeitadas em pouco tempo.  Este é a ideia do proprietário de quatro lojas de varejo, presentes há mais de 25 anos na capital, Allan Kardec.

Ele afirma que fez questão de antecipar a venda dos enfeites natalinos desde o dia 15 de setembro. De acordo com o proprietário, já há preparação até para as festividades de ano novo e para o movimento de volta às aulas.

Segundo ele, a expectativa é que as vendas cresçam. "Nos surpreendemos. Fizemos um investimento e oferecemos esse material mais cedo para que as pessoas não deixem de comprar e já estamos recebendo o retorno", afirmou.

A Federação do Comércio de Bens e Serviços do Amazonas (Fecomércio/AM), ainda não divulgou quanto o comércio deve arrecadar com as vendas de fim de ano, mas a projeção de crescimento é de 7% em relação ao ano passado.

Para o presidente da Federação, Roberto Tadros, já estamos no tempo certo da procura por esse tipo de produto e a expectativa é que as vendas do Natal sejam satisfatórias. "O 13º vai irrigar o mercado e a economia favorecendo as vendas", disse. Segundo o presidente, o objetivo é criar o clima de festa bem antes de dezembro. Para ele, o Brasil apresenta um cenário econômico favorável se comparado a países que estão em crise neste fim de ano.

Ainda segundo Tadros, a prorrogação da Zona Franca de Manaus por mais 50 anos , anunciada pela presidente Dilma, nesta segunda-feira (24), em Manaus, a diminuição das taxas de juros, uma melhor distribuição de renda, a melhoria da condição financeira da população e a não existência de desempregos em massa estão intimamente ligadas às vendas de fim de ano.

"Tudo está conspirando ao sopro de otimismo. A economia também está relacionada ao efeito psicológico. Se a economia vai bem, as vendas acompanham o crescimento", disse ao G1.        

veja também