MENU

Comércio em SP sente os efeitos da tragédia no Japão

Comércio em SP sente os efeitos da tragédia no Japão

Atualizado: Sexta-feira, 18 Março de 2011 as 2:09

Comerciantes do bairro da Liberdade, na região central de São Paulo, estão sentindo os efeitos da crise no Japão. Faltam mercadorias japonesas e os fornecedores do outro lado do mundo já avisaram que as exportações, por enquanto, estão suspensas. O aviso veio por carta.

Celso Ishiy, dono de uma importadora que trabalhar com 95% dos produtos vindo do país, deixou de receber pelo menos três containeres de mercadorias. “Eles explicam todo esse problema de logística, da distribuição, da falta de gasolina, do fechamento das estradas, falta de matéria-prima e falam que provavelmente vão faltar esses produtos.”

De acordo com Ishiy, não foi dado nenhum prazo para voltar a receber os produtos. “A gente também está tentando não pressionar, sendo solidários a situação.”

Na lista, estão produtos da culinária oriental que o brasileiro já incluiu na cozinha. Temperos, molhos como shoyo, tipos de algas usadas para fazer sushi. O saquê já está faltando. “Todo mundo está com medo da falta de produtos e está começando a estocar. Por isso vai acabar muito mais rápido”, comenta o dono da importadora.

No comércio da Liberdade, os donos de loja ainda conseguem abastecer as prateleiras com produtos japoneses por pelo menos um mês. Depois devem fazer substituições. “Nós temos a opção da Coreia, da China e até mesmo dos Estados Unidos”, fala a comerciante Sílvia Yamamoto. Alguns clientes não estão gostando da ideia. “Tem coisa que não é fabricada aqui no Brasil, só lá mesmo. Por isso que eu venho aqui”, diz Kelly Hiratsuka, fisioterapeuta.    

veja também