MENU

Comissão da Câmara irá analisar denúncias contra prefeito de Taboão

Comissão da Câmara irá analisar denúncias contra prefeito de Taboão

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 10:38

Em sessão tumultuada na noite desta terça-feira (23), os vereadores de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, decidiram que a Comissão de Justiça e Redação irá analisar antes as denúncias contra o prefeito Evilásio Farias (PSB) para só depois ser levada à votação na Casa o afastamento ou até mesmo a cassação dele.

O grupo é formado pelos vereadores Alexandre Depieri (PSB), Olívio Nóbrega Filho (PR) e Wagner Eckstein (PT). Para Nóbrega Filho, é preciso "primar pela legalidade, mesmo que a população fique frustrada temporariamente". A comissão tem até 15 dias para dar seu parecer sobre o caso. Só depois o texto será levado a plenário.

Centenas de pessoas se aglomeraram dentro e fora da Câmara para acompanhar a sessão. A cidade vive uma expectativa em razão da investigação de eventuais irregularidades na gestão municipal. Em junho, secretários e servidores públicos chegaram a ser presos suspeitos de participação em um esquema de desvio de recursos da Prefeitura.

Para Valdevan Noventa (PDT), o documento que atribui denúncias ao prefeito é "fajuto". A assessoria do governo municipal diz que Farias só irá se pronunciar na semana que vem, para não atrapalhar o trabalho da Justiça.

Em junho, o prefeito anunciou a exoneração dos servidores e de três secretários que são investigados por suspeita de envolvimento em uma fraude milionária nas contas do município. Segundo as investigações, eles recebiam dinheiro para anular dívidas de impostos como IPTU e ISS. Vereadores também são suspeitos de participação no esquema. Centenas de pessoas acompanham a sessão dentro e fora do plenário da Câmara Municipal.

As investigações, que começaram no mês de março, apontam que os suspeitos estão envolvidos na fraude que ocorria no setor da dívida ativa de Taboão da Serra. Um esquema criminoso cobrava uma porcentagem da dívida dos devedores para terem quitados débitos irregularmente. Os valores devidos eram apagados da conta de dívidas ativas e não entravam no caixa da Prefeitura. O prefeito de Taboão da Serra afirmou, em maio, que o esquema foi descoberto pela Secretaria de Finanças, que observou que as baixas nas dívidas ativas não correspondiam às entradas de recursos. A Prefeitura contratou uma auditoria independente para fazer uma varredura nas contas municipais.

Em junho, o prefeito disse que foi ele que, em janeiro de 2005, quando assumiu a Prefeitura, denunciou a fraude à polícia. "Eu identifiquei um diretor de cadastro e mais dois auxiliares como participantes do esquema em março daquele ano e os entregamos à polícia. Isso não é ser omisso, não é prevaricar. Mas o esquema recrudesceu. Em março agora, descobrimos que estava havendo baixa na dívida sem entrar dinheiro nos caixas da Prefeitura", relatou na ocasião.  

veja também