Comitês políticos são oportunidade para palestras preventivas sobre drogas

Comitês políticos são oportunidade para palestras preventivas sobre drogas

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 5:38

A preocupação com as Drogas é tanta - principalmente com o Crack - que profissionais aproveitam qualquer chance para falaram do mal que atinge toda a sociedade.

Há maneiras de se fazer política: uma por interesses pessoais, outra por interesses coletivos e, realmente aproveito o carisma e o conhecimento que Deus me deu para levar a Sua palavra através da prevenção contra as drogas.

Em Curitiba, tenho aproveitado as reuniões políticas para palestrar sobre os malefícios das drogas, já que estes encontros reúnem grandes números de pessoas. Aproveito para marcar uma palestra de prevenção contra drogas. Como as pessoas já me conhecem e sabem deste meu ministério, o momento acaba sendo como uma atração da reunião, enquanto esperam o candidato damos as palestras, que são bem aceitas.

Vamos a todos os lugares, comunidades, bares, restaurantes, igrejas católicas, evangélicas, empresas, e nessa época de política achamos um novo espaço os comitês políticos, bem como as reuniões políticas. Entendo que, não importa onde estejamos... se há uma porta aberta, temos que fazer a vontade de Deus. É como se Ele estivesse dizendo: "Não importa a hora o lugar, a guerra contra o crack é grande e é minha".

Neste período - final de julho a agosto - foram mais de 25 reuniões, atingindo um total de 3.500 mil pessoas, mas isso é feito durante o ano todo: apresentando o candidato e antes, palestrando sobre os malefícios das drogas.

Desde o mês de Fevereiro foram 27.598 pessoas, que assistiram às nossas palestras e, até o final dessa campanha pretendemos fazer muitas reuniões e aproveitar as existentes. Já virou moda: onde há uma porta aberta, com pessoas reunidas, enquanto esperamos o candidato, falamos sobre o poder devastador das drogas - principalmente do crack - e o quanto o amor de Deus transforma e cura esta epidemia. Se está sendo feito o que é correto aos olhos de todos, não sei... mas posso dizer que quando acabo as palestras, depois da reunião, muitos me procuram, pedindo ajuda e orações. Não entendo direito o que acontece.

Não sou somente eu promovo essas palestras. Eu aprendi tal estratégia com o delegado da polícia Federal Fernando Francischini, que me ensinou que devemos aproveitar todas as chances, sejam elas quais forem para lutar contra o mal, independente dos nossos interesses pessoais. "Essa é a minha parte", disse o delegado.

Comecei a dar palestras apenas em reuniões com o Delegado, mas agora a agenda está lotada, pois todos querem as palestras. Se é para conseguir voto ou mesmo por preocupação, não sei... e nem me interessa... Deus sabe porque estou indo e isso me basta.

Sabe o bom da história para os meus candidatos? É que, depois que palestramos e falamos do perigo das drogas, ainda peço voto sim também e o que ouço em troca é que "Se antes já estavam se preocupando, imaginem depois". Creio que é bem isso, a política tem que estar focada no agora também. Se fizermos agora, faremos depois. Isso é certo. E mesmo que nossos candidatos não se elejam, ainda sim, foram usados por Deus e espero do fundo do meu coração que ganhem, pois não conheço em nenhum lugar algo parecido, comitês reuniões políticas sendo usadas, para prevenir ás drogas e sem interesse eleitoreiros apenas e sim, como forma de prevenção ás drogas que é um problema de todos nós.

Claro que essas palestras acabam sendo uma grande estratégia para conseguir votos, e realmente peço que votem no meu candidato. Não sou hipócrita. Mas quer forma mais decente de como cristãos fazermos política que pedindo votos para nossos candidatos? Já que vamos pedir mesmo, porque não aproveitar o povo reunido para prevenir e falar do poder que Deus exerce sobre o usuário de drogas, sobre os próprios políticos e sobre a nossa nação.

Todos os candidatos estão muito preocupados com a questão drogas, e já que esta preocupação existe, vamos aproveitar e ensinar que a cura para o vício das drogas estão nas ações voltadas para Deus.

Além de palestrante, Marisa Lobo é psicóloga, escritora e coordenadora da maior feira Cristã do Sul Do Brasil: a ExpoCristo, em Curitiba.

veja também