MENU

Condenado pela Justiça, ex-vereador Passarinho é preso

Condenado pela Justiça, ex-vereador Passarinho é preso

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2011 as 1:08

Ex-vereador de Vitória, Passarinho, está preso

(Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

  O ex-vereador de Vitória Gilmário da Costa Gomes, conhecido como Passarinho, condenado por se apropriar de parte dos salários de servidores da Câmara de Vitória, foi preso no início da tarde desta quarta-feira (24). Ele é condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, por peculato, que é o crime de apropriação de valor ou bens públicos. A defesa promete recorrer da decisão.

Mesmo com mandado de prisão em aberto, o ex-vereador mantinha uma vida normal, trabalhava como salva-vidas da Prefeitura de Vitória e era líder comunitário de um bairro na capital do Espírito Santo. Passarinho foi preso e levado para o Centro de Triagem de Viana.

De acordo com o advogado de defesa de Passarinho, Homero Mafra, já foi dada entrada com recurso no Superior Tribunal de Justiça (STF). "Estamos tentando diminuir a pena dele e também cumprir a pena em regime semi aberto", disse Mafra.

Entenda o caso

&S232; Em 2008, segundo o Ministério Público Estadual (MPES), a 4º Promotoria de Justiça Criminal de Vitória denunciou o vereador Passarinho pelos crimes de peculato (apropriação de valor ou bem público), corrupção passiva e concussão (vantagem indevida).

Segundo o MPES, na ação penal, a promotora evidenciou que o vereador foi responsável pelo preenchimento de diversos cargos públicos no legislativo e executivo municipal cujos ocupantes não exerciam função administrativa compatível com seus cargos e sim se voltavam para atividade assistencialista e com objetivo eleitoral, implicando num desvio de recursos públicos.

A promotoria descobriu a existência generalizada de nomeações para o gabinete do vereador em decorrência de vinculação política e de trabalho na campanha eleitoral que o elegeu, sem que se estabelecesse de forma definida quais seriam suas funções e, também, sem qualquer controle de expediente, tampouco assinaturas ou elaboração de folha de ponto.

Na época em que foi denunciado, o ex-vereador de Vitória Gilmário da Costa Gomes disse que está sendo vítima de perseguição política e que não existiam provas contra ele. "Ninguém tem provas contra mim. Nada disso procede, cadê as provas? As pessoas tem inveja de mim", destacou Passarinho, em 2008.            

veja também