MENU

Confirmado o primeiro óbito causado por dengue neste ano no Espírito Santo

Confirmado o primeiro óbito causado por dengue neste ano no Espírito Santo

Atualizado: Quinta-feira, 24 Fevereiro de 2011 as 9:08

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou a primeira morte causada por dengue em 2011, outros cinco casos estão em investigação. O óbito é um alerta para que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas e comecem o tratamento o mais cedo possível. Se seguidas corretamente, as orientações podem evitar casos graves de dengue e mais mortes.

A médica infectologista da Sesa, Daniela Mill, explica que neste período é esperado o aumento do número de casos de dengue, não só no Espírito Santo, como em todo o Brasil, por isso a atenção aos sintomas deve ser redobrada, sobretudo à febre.

“A febre é o principal sintoma da dengue. Se aparecer associada à dor de cabeça, dor no olho, dor nas articulações, dor muscular, dor abdominal e manchas, a pessoa deve procurar a unidade de saúde municipal mais próxima da residência”, ressalta a especialista.

Ela destaca que antes mesmo de ir à unidade de saúde, o tratamento deve ser iniciado em casa. “Se a pessoa achar que está com dengue é muito importante que já comece a se hidratar e beba muito líquido em casa, no mínimo dois litros por dia”.

Além de muita água, o paciente pode beber chá, suco e soro caseiro – a medida é duas colheres de sopa de açúcar e uma colher de café de sal por litro de água. “Na maioria dos óbitos causados por dengue observamos pouca hidratação”, esclarece a médica.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou a primeira morte causada por dengue em 2011, outros cinco casos estão em investigação. O óbito é um alerta para que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas e comecem o tratamento o mais cedo possível. Se seguidas corretamente, as orientações podem evitar casos graves de dengue e mais mortes.  A médica infectologista da Sesa, Daniela Mill, explica que neste período é esperado o aumento do número de casos de dengue, não só no Espírito Santo, como em todo o Brasil, por isso a atenção aos sintomas deve ser redobrada, sobretudo à febre. “A febre é o principal sintoma da dengue. Se aparecer associada à dor de cabeça, dor no olho, dor nas articulações, dor muscular, dor abdominal e manchas, a pessoa deve procurar a unidade de saúde municipal mais próxima da residência”, ressalta a especialista. Ela destaca que antes mesmo de ir à unidade de saúde, o tratamento deve ser iniciado em casa. “Se a pessoa achar que está com dengue é muito importante que já comece a se hidratar e beba muito líquido em casa, no mínimo dois litros por dia”. Além de muita água, o paciente pode beber chá, suco e soro caseiro – a medida é duas colheres de sopa de açúcar e uma colher de café de sal por litro de água. “Na maioria dos óbitos causados por dengue observamos pouca hidratação”, esclarece a médica. Números da dengue no ES

A Sesa recebeu um total de 7.295 notificações de dengue entre o dia 02 de janeiro e esta quarta-feira (23), sendo 118 suspeitas da forma grave da doença (dengue com complicação e dengue hemorrágica).

Notificações por semana

02/01 – 08/01 - 718

09/01 – 15/01 - 919

16/01 – 22/01 - 934

23/01 – 29/01 - 1.069

30/01 – 05/02 - 1.170

06/02 – 12/02 - 1.272

13/02 – 19/02 - 1.213

Total - 7.295

Municípios com maior incidência (fevereiro)

Bom Jesus do Norte - 1.086,6

Apiacá - 998,3

Pinheiros - 962,7

Colatina - 554,6

Ecoporanga - 417,7

A incidência calcula a quantidade de casos de uma doença em relação ao número de habitantes. Os números absolutos não levam em consideração o número de habitantes e, portanto, não mostram a situação real de determinada localidade.

Para o cálculo da incidência, divide-se o número de notificações pelo quantitativo populacional do município e multiplica-se este valor por 100 mil.

O Ministério da Saúde considera três níveis de incidência de dengue: baixa (menos de 100 casos/100 mil habitantes), média (de 100 a 300 casos/100 mil habitantes) e alta (mais de 300 casos/100 mil habitantes).

Como se prevenir:

- Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

- Tirar água dos vasos de plantas;

- Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

- Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

- Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas, sacolas plásticas, etc.;

- Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantê-los sempre limpos

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou a primeira morte causada por dengue em 2011, outros cinco casos estão em investigação. O óbito é um alerta para que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas e comecem o tratamento o mais cedo possível. Se seguidas corretamente, as orientações podem evitar casos graves de dengue e mais mortes.

A médica infectologista da Sesa, Daniela Mill, explica que neste período é esperado o aumento do número de casos de dengue, não só no Espírito Santo, como em todo o Brasil, por isso a atenção aos sintomas deve ser redobrada, sobretudo à febre.

“A febre é o principal sintoma da dengue. Se aparecer associada à dor de cabeça, dor no olho, dor nas articulações, dor muscular, dor abdominal e manchas, a pessoa deve procurar a unidade de saúde municipal mais próxima da residência”, ressalta a especialista.

Ela destaca que antes mesmo de ir à unidade de saúde, o tratamento deve ser iniciado em casa. “Se a pessoa achar que está com dengue é muito importante que já comece a se hidratar e beba muito líquido em casa, no mínimo dois litros por dia”.

Além de muita água, o paciente pode beber chá, suco e soro caseiro – a medida é duas colheres de sopa de açúcar e uma colher de café de sal por litro de água. “Na maioria dos óbitos causados por dengue observamos pouca hidratação”, esclarece a médica.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou a primeira morte causada por dengue em 2011, outros cinco casos estão em investigação. O óbito é um alerta para que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas e comecem o tratamento o mais cedo possível. Se seguidas corretamente, as orientações podem evitar casos graves de dengue e mais mortes.  A médica infectologista da Sesa, Daniela Mill, explica que neste período é esperado o aumento do número de casos de dengue, não só no Espírito Santo, como em todo o Brasil, por isso a atenção aos sintomas deve ser redobrada, sobretudo à febre. “A febre é o principal sintoma da dengue. Se aparecer associada à dor de cabeça, dor no olho, dor nas articulações, dor muscular, dor abdominal e manchas, a pessoa deve procurar a unidade de saúde municipal mais próxima da residência”, ressalta a especialista. Ela destaca que antes mesmo de ir à unidade de saúde, o tratamento deve ser iniciado em casa. “Se a pessoa achar que está com dengue é muito importante que já comece a se hidratar e beba muito líquido em casa, no mínimo dois litros por dia”. Além de muita água, o paciente pode beber chá, suco e soro caseiro – a medida é duas colheres de sopa de açúcar e uma colher de café de sal por litro de água. “Na maioria dos óbitos causados por dengue observamos pouca hidratação”, esclarece a médica.

Números da dengue no ES

A Sesa recebeu um total de 7.295 notificações de dengue entre o dia 02 de janeiro e esta quarta-feira (23), sendo 118 suspeitas da forma grave da doença (dengue com complicação e dengue hemorrágica).

Notificações por semana

02/01 – 08/01 - 718

09/01 – 15/01 - 919

16/01 – 22/01 - 934

23/01 – 29/01 - 1.069

30/01 – 05/02 - 1.170

06/02 – 12/02 - 1.272

13/02 – 19/02 - 1.213

Total - 7.295

Municípios com maior incidência (fevereiro)

Bom Jesus do Norte - 1.086,6

Apiacá - 998,3

Pinheiros - 962,7

Colatina - 554,6

Ecoporanga - 417,7

A incidência calcula a quantidade de casos de uma doença em relação ao número de habitantes. Os números absolutos não levam em consideração o número de habitantes e, portanto, não mostram a situação real de determinada localidade.

Para o cálculo da incidência, divide-se o número de notificações pelo quantitativo populacional do município e multiplica-se este valor por 100 mil.

O Ministério da Saúde considera três níveis de incidência de dengue: baixa (menos de 100 casos/100 mil habitantes), média (de 100 a 300 casos/100 mil habitantes) e alta (mais de 300 casos/100 mil habitantes).

Como se prevenir:

- Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

- Tirar água dos vasos de plantas;

- Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

- Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

- Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas, sacolas plásticas, etc.;

- Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.      

veja também