MENU

Confissão de ré será usada como prova no caso 'Bruxas de Guaratuba'

Confissão de ré será usada como prova no caso 'Bruxas de Guaratuba'

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 4:22

A Justiça negou no fim da tarde de quinta-feira (19) o pedido dos advogados de defesa de Beatriz Abagge - acusada de ser mandante do assassinato de uma criança com rituais de magia negra - para que a confissão da ré, utilizada como prova,  fosse retirada do processo. A acusada será julgada na sexta-feira (27).  

Evandro Ramos Caetano, de seis anos, desapareceu em abril de 1992, em Guaratuba no litoral do Paraná, quando ia para escola. O corpo dele foi encontrado cinco dias depois em condições que apontavam que o assassinato foi realizado com rituais de magia negra, normalmente, praticados com animais.

Em 1998, Beatriz Abagge, que hoje tem 47 anos, e Celina Abbage, de 72, que são filha e mãe foram acusadas de serem mandantes do crime. Elas foram absolvidas pelo júri, mas o Ministério Público recorreu à decisão e o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou um novo julgamento.

Na sexta-feira, apenas Beatriz será julgada pela segunda vez porque a legislação brasileira determina que nenhum cidadão pode ser punido após 70 anos de idade.        

veja também