MENU

Conselheiros tutelares fazem vigília em prédio que deve ser desocupado

Conselheiros tutelares fazem vigília em prédio que deve ser desocupado

Atualizado: Terça-feira, 7 Junho de 2011 as 11:31

Cerca de dez conselheiros tutelares fazem, desde a manhã desta segunda-feira (6), uma vigília dentro do prédio que era sede do conselho de Ceilândia Sul, na QNN 17. Por falta de pagamento de aluguel, uma ordem judicial determinou a desocupação do local neste domingo (5).

Os conselheiros, que passaram a madrugada no prédio e não planejam sair do local sem uma negociação satisfatória, querem chamar atenção para a falta de estrutura nos conselhos. “Vamos manter a vigília em prol da estrutura dos conselhos do DF. O movimento também é pela reestruturação e regulamentação da função do conselheiro tutelar”, afirmou Domingos Francisco Sousa Barbosa, do conselho de Ceilândia Sul.

O conselho tutelar de Ceilândia, calcula Domingos Barbosa, atende a cerca de 25 famílias diariamente. Entre os casos que chegam ao órgão estão denúncias de abuso sexual e agressão física, além de pedidos de vagas em creche e acompanhamento psicológico. “São casos sérios, serviços essenciais que não podem sofrer descontinuidade”, alegou o conselheiro.     De acordo com Barbosa, é responsabilidade do governo pagar os R$ 3.337 do aluguel da sala onde funcionava o conselho de Ceilândia Sul. Segundo ele, 11 meses de atraso teriam feito o proprietário pedir a devolução do imóvel.

A assessoria da Secretaria da Criança do Distrito Federal alegou que a falta de pagamento foi iniciada no governo passado e que apresentou ao conselho tutelar de Ceilândia a opção de mudança provisória para o Centro Cultural de Ceilândia. Os conselheiros por sua vez, alegam que o local que lhes foi oferecido serviria apenas para receber móveis e equipamentos, sem condições de atendimento à população.

O secretário da Criança, Dioclécio Campos, informou que a secretaria fez um diagnostico de todos os conselhos tutelares do Distrito Federal. O documento será entregue ao governador ainda esta semana com medidas emergenciais que devem ser tomadas para garantir o funcionamento dos órgãos, inclusive com a contratação de três auxiliares administrativos para cada conselho. Atualmente o DF tem 33 conselhos tutelares.        

veja também