MENU

Conselho Tutelar diz que família não procurou bebê deixado em caçamba

Conselho Tutelar diz que família não procurou bebê deixado em caçamba

Atualizado: Segunda-feira, 25 Abril de 2011 as 1:36

A conselheira tutelar Michele Quintas, de Praia Grande, no litoral de São Paulo, disse nesta segunda-feira (25) que nenhum parente do bebê abandonado em uma caçamba de lixo na cidade procurou o Conselho Tutelar para ficar com a criança. Por isso, o mais provável é que a menina seja encaminhada para a adoção. A mãe dela, uma mulher de 39 anos, foi presa no sábado (23).

“Ninguém nos procurou ainda, por enquanto para nós está vaga esta questão. A criança vai para adoção até que alguém da família se pronuncie”, afirmou a conselheira. Ela disse que ainda não sabe se parentes procuraram o Fórum para se pronunciar. Por enquanto, o conselho tutelar só teve informações por meio da imprensa – neste domingo, o pai da menina disse que iria lutar pela guarda da menina.

A criança continua internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande. Segundo a assessoria do hospital, ela apresentou melhoras no estado de saúde e pode ser transferida para o quarto entre esta segunda e terça-feira (26).

Segundo o Conselho Tutelar, qualquer visita ao bebê só poderá ser feita com autorização judicial. O suposto pai ainda não procurou a criança. “Se a mãe do bebe disser que ele é o pai e ele assumir, ele tem preferência em ficar com a menina”, afirmou Carlos Eduardo Barbosa, conselheiro tutelar de Praia Grande.     O pai da criança, um homem que não quis ser identificado, afirmou que ficou sabendo que a menina era sua filha apenas na sexta-feira (22), quando chegou ao trabalho. A mãe do bebê trabalhava na mesma clínica de repouso e saiu “quatro ou cinco vezes” com o homem. "A gente trabalhava junto todo dia e eu não via a barriga. Ela não comentou com ninguém no trabalho. A barriga dela não cresceu", contou.

Ele acrescentou que nunca imaginou que a menina seria sua filha. "Eu acompanhei a matéria sobre o abandono. Não sabia que era minha filha. Quando soube, fiquei muito chateado. A situação em que a criança foi encontrada é muito triste. Eu acho que o fato de ela ter jogado na lixeira foi desatenção", disse. O homem acrescentou que irá lutar pela guarda da menina.

A criança, que vem sendo chamada pelos funcionários do Hospital Irmã Dulce de Vitória, foi encontrada na noite do dia 18, enrolada em um saco de lixo, pelo catador Andrey Cotrin. Assustado, ele pediu ajuda em uma escola ali perto. Toda a ação, inclusive o momento em que a mãe da criança a deixa na caçamba, foi filmada por uma câmera instalada na via.      

veja também