MENU

Consulado do Brasil em Buenos Aires prepara estrutura para votação em outubro

Consulado do Brasil em Buenos Aires prepara estrutura para votação em outubro

Atualizado: Sexta-feira, 13 Agosto de 2010 as 3:59

O Consulado Geral do Brasil na capital argentina já começou a preparar a estrutura que permitirá a votação dos eleitores brasileiros na eleição presidencial de outubro. Uma das primeiras iniciativas foi a convocação de 40 cidadãos residentes em Buenos Aires para atuar como mesários nas dez seções eleitorais que serão montadas na embaixada brasileira. O registro mais recente disponível no consulado mostra que 3.877 brasileiros residentes em Buenos Aires estão habilitados a votar em outubro, porque tiveram os títulos eleitorais registrados na divisão consular ou transferidos para a capital argentina. O conselheiro Guilherme Frazão Conduru, responsável pela organização da infraestrutura eleitoral, disse à Agência Brasil que somente os brasileiros que atendem a uma dessas condições poderão votar na eleição presidencial.

Os turistas que estiverem em Buenos Aires no dia 3 de outubro, data do primeiro turno, ou no dia 31, em eventual segundo turno, não poderão votar nem registrar uma justificativa. Canduru disse que ainda receberá instruções específicas sobre este assunto, mas adiantou que o turista terá 60 dias para apresentar sua justificativa, por meio de carta, à Justiça Eleitoral em sua cidade.

No dia da eleição, a cônsul-geral do Brasil em Buenos Aires, Gladys Ann Gary Facó, assumirá o papel de juíza eleitoral, com autoridade para resolver qualquer tipo de pendência ou eventuais problemas. A votação ocorrerá na embaixada brasileira, já que o consulado, que ocupa apenas um andar de um edifício comercial, não dispõe de estrutura física para atender os eleitores habilitados a votar.

“Não sabemos se todos os 3.877 eleitores votarão no dia 3 de outubro. Parece-me que o índice de abstenção em Buenos Aires, comparativamente, é maior do que o registrado no Brasil. Na eleição passada, dos 2,8 mil eleitores inscritos, votaram apenas 900”, disse o conselheiro Guilhereme Canduru,

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviará a Buenos Aires as urnas eletrônicas registradas como mala diplomática, condição que aumenta a segurança necessária ao transporte. Elas serão guardadas em cofre da embaixada brasileira até o dia da eleição. No dia 3 de outubro, a polícia da capital argentina reforçará a segurança no local, uma vez que haverá aglomeração de eleitores em torno do prédio onde funciona a embaixada.

Encerrada a votação, cada urna irá gerar um relatório com os resultados. O conselheiro Canduru disse que o relatório é semelhante a uma filipeta produzida pelas máquinas de cartão de crédito. “O relatório é colado numa folha de papel A4 e enviado a Brasília por meio de fax , autenticado pela cônsul-geral."

Simultaneamente, haverá a transmissão eletrônica dos resultados da votação. “Eles também são gerados por um computador previamente habilitado para isso, contendo um programa com mecanismos de segurança utilizados na internet ”, disse o conselheiro.

No dia 3 de outubro, e eventualmente no dia 31, no caso de segundo turno, a votação para presidente da República envolverá os brasileiros residentes em Buenos Aires, Córdoba e Mendoza. A imprensa poderá acompanhar todo o processo de votação e divulgação dos resultados da eleição presidencial.

veja também