MENU

Consulado libanês vai ajudar a repatriar garota, diz mãe

Consulado libanês vai ajudar a repatriar garota, diz mãe

Atualizado: Quarta-feira, 4 Agosto de 2010 as 4:14

Claudia Dias de Carvalho, mãe da menina Gabriela, de 6 anos, disse estar “muito contente e esperançosa” depois de um encontro com o cônsul-geral do Líbano em São Paulo, Joseph Sayah, na manhã desta quarta-feira (4), na Avenida Paulista. O advogado dela, José Beraldo, garantiu que a sua cliente conta com o empenho do consulado para a repatriação da garota, que foi levada pelo pai libanês para o país de origem dele.

De acordo com Beraldo, o cônsul explicou durante o encontro desta manhã que Pedro Boutros Boutros cometeu um crime de acordo com as leis brasileiras e libanesas. “Ela [Claudia] detém a guarda da criança. Ele não poderia deixar o Brasil sem a autorização da mãe e do consulado”, disse.

O advogado vai entregar um pedido formal de ajuda, ao qual anexará documentos que provam que a guarda da criança pertence à mãe, para que o consulado tome as medidas diplomáticas para repatriar a garota. “Ele garantiu que fará tudo para trazer essa criança de volta”, declarou o advogado.

Como a criança mora atualmente no Líbano, com a família do comerciante, a mãe e o advogado não descartam a ideia de ir até o país para buscá-la se for necessário.

O cônsul libanês foi procurado pela reportagem do G1 , mas não quis se manifestar sobre a reunião com a mãe de Gabriela. Antes do encontro, Claudia afirmou que seu objetivo “mostrar que o Pedro teve má fé desde o início do relacionamento e, graças ao casamento, ele conseguiu a cidadania”.

De acordo com a Polícia Federal, Gabriela chegou ao Líbano no 18 de março, na companhia do comerciante libanês Pedro Boutros Boutros. Separado há dois anos de Claudia, ele visitava a filha, Gabriela, a cada 15 dias. No dia 12 de março, a garota foi levada pelo pai e nunca mais voltou. O boletim de ocorrência foi registrado no dia 17 de março. O libanês Pedro Boutros Boutros foi incluído na lista de procurados da Interpol por subtração de incapaz no mês de julho.

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também