MENU

Coordenador da Unesco defende maior acesso à informação jornalística no país

Coordenador da Unesco defende maior acesso à informação jornalística no país

Atualizado: Quarta-feira, 23 Junho de 2010 as 2:46

A sociedade brasileira enfrenta uma desigualdade no acesso à informação jornalística tão grave quanto a de outros países. Foi o que afirmou o coordenador de Comunicação e Informação da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), Guilherme Canela.

''Precisamos de um sistema de mídia que amplie o acesso da população às mais diversas formas de produção de conteúdo jornalístico. Há uma pluralidade na oferta que também precisa existir no acesso'', disse em entrevista à ''Rádio Nacional''.

Canela acredita que o acesso aos meios de comunicação é um dos principais pontos no debate da democratização do conteúdo jornalístico. ''Fala-se muito, por exemplo, das possibilidades democráticas com a internet, que são verdadeiras, mas é preciso que a população tenha acesso para que isso possa se concretizar'', acrescentou.

O acesso à informação é uma das cinco principais categorias dispostas em um documento que vai ser apresentado hoje (23) na Câmara dos Deputados. Durante audiência pública, a Unesco vai lançar a versão em português do livro Indicadores de Desenvolvimento da Mídia: marco para a avaliação do desenvolvimento dos meios de comunicação. Regulação pelo Estado, diversidade de empresas, tipo de conteúdo e qualificação dos profissionais também fazem parte das diretrizes.

Segundo o coordenador da Unesco, o material pode ser uma ferramenta para avaliar se a mídia é democrática, mas tem que ser discutido no Brasil porque é baseado em uma proposta mundial. ''A sociedade brasileira precisa ver, dentro dos mais de 100 indicadores, quais os que mais se aproximam da realidade e do contexto do país.''

De acordo com o coordenador, o sistema público de comunicação é um fator importante no combate à desigualdade de acesso à informação. ''A mídia pública tem que funcionar como uma ferramenta substantiva de melhoria do direito à informação'', defendeu.

veja também