MENU

Corpo carbonizado no interior de SP não é de Eliza Samudio, diz polícia

Corpo carbonizado no interior de SP não é de Eliza Samudio, diz polícia

Atualizado: Quinta-feira, 29 Julho de 2010 as 9:14

O corpo carbonizado encontrado em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo, em junho, não é de Eliza Samudio. O laudo foi enviado para a polícia no início da noite desta quarta-feira (28) pelo Instituto de Criminalistica.

O exame diz que os ossos analisados são de um homem. A informação foi confirmada ao G1 pela delegada seccional de Guaratinguetá, Sandra Vergal.

Eliza Samudio teve um relacionamento com o goleiro Bruno e está desaparecida. O sumiço é investigado desde o dia 24 de junho. A polícia já considera que a mulher está morta. Mas o corpo não foi encontrado. No dia 19 deste mês, o delegado Mário Celso Ribeiro Fenne, da Polícia Civil de Cachoeira Paulista, a 212 km da capital paulista, comunicou os policiais de Minas Gerais, que investigam o desaparecimento, sobre a localização de um corpo carbonizado no município.

O corpo foi localizado no bairro São Miguel no dia 26 de junho. Estava totalmente carbonizado e sem a arcada dentária superior. Apesar de a polícia ter considerado a possibilidade de o corpo ser de uma mulher em razão da baixa estatura, a suspeita foi descartada.

Um pedaço do fêmur e um dente auxiliaram na identificação.

Caso Eliza Samudio

Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza Samudio se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com o goleiro Bruno. Ela engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

A polícia mineira começou a investigar o sumiço de Eliza em 24 de junho, depois de receber denúncias de que uma mulher foi agredida e morta perto do sítio de Bruno.

Oito pessoas estão presas por suspeita de envolvimento no desaparecimento da jovem, incluindo Bruno. Todos negam o crime.

No Rio, o goleiro e o amigo dele, Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, são investigados por suspeita de participação no sequestro da jovem. Os dois também negam.

Desmentidos sucessivos têm complicado as investigações. O adolescente que havia revelado uma trama e a morte de Eliza voltou atrás nesta semana após uma acareação com o primo de Bruno.

veja também