MENU

Corpo de Gabriel Buchmann chega ao Brasil; velório será no Rio

Corpo de Gabriel Buchmann chega ao Brasil; velório será no Rio

Atualizado: Segunda-feira, 10 Agosto de 2009 as 12

O corpo do economista brasileiro Gabriel Buchmann, 28, que morreu na África, chegou às 15h59 deste domingo, 9 de agosto, no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo). O traslado foi feito em um voo da South African Airways, que saiu de Johannesburgo (África do Sul) por volta das 11hs (horário local).

O transporte do corpo de São Paulo para o Rio de Janeiro, onde mora a família de Gabriel, será feito por terra, aos cuidados da funerária que também será a responsável pelos procedimentos no aeroporto.

O velório será hoje, 10 de agosto, na capela número 1 do Memorial do Carmo, no Caju, na zona portuária do Rio, a partir das 10hs e vai até as 12h45 de terça-feira, dia 11. A cerimônia de cremação será às 13h15 de terça-feira.

Sábado, dia 8, familiares e amigos de Gabriel fizeram uma homenagem na praia de Ipanema, na zona sul do Rio. Segundo o blog criado pela família do economista, o evento foi realizado para lembrar de Gabriel, dar adeus e canalizar bons pensamentos para ele.

De acordo com a Polícia Militar, policiais acompanharam o evento para garantir a segurança dos presentes e não houve incidentes. A PM não soube informar quantas pessoas participaram da homenagem.

O corpo do economista foi encontrado na última quarta-feira, 5 de agosto, em uma montanha no Maláui, na África. Ele havia desaparecido no dia 17 de julho, quando fazia uma trilha no parque florestal. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, com o corpo, foi localizada a máquina fotográfica de Gabriel, cujo último registro foi feito dois dias depois do seu sumiço, ou seja, no dia 19 de julho.

Embora ele tenha sido localizado a mil metros do pico de Sapitwa, na montanha, a máquina continha fotos do topo, o que indica que ele morreu ao voltar da escalada. Familiares disseram que Gabriel foi visto pela última vez por um guia de turismo quando escalava a montanha Mulanje, em um parque do Maláui.

Peritos que realizaram a necropsia do corpo do economista concluíram que ele morreu de hipotermia (redução brusca da temperatura corporal), segundo informações do Itamaraty.

A necropsia do corpo de Gabriel foi realizada na quinta-feira, dia 6, em um hospital no país, mas ainda não há informações se novos exames deverão ser realizados. Não foi informado o dia em que ele morreu, porém, o corpo não tinha marcas de ferimentos.

veja também