MENU

Corpo de homem baleado em blitz será enterrado em Niterói

Corpo de homem baleado em blitz será enterrado em Niterói

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 8:23

    Será enterrado às 10h desta terça-feira (21), no Cemitério do Maruí, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, o corpo do homem baleado numa blitz no fim de semana, em Benfica, na Zona Norte da cidade. O velório acontece na capela B.

Segundo a polícia, Aloysio Martins Júnior voltava da comemoração do seu aniversário de 45 anos quando foi rendido por três suspeitos na porta de casa. Ele teria sido vítima de um sequestro-relâmpago.

Segundo a polícia, a vítima e os suspeitos estariam num carro que tentou furar uma blitz na Avenida Prefeito Olímpio de Melo. Houve troca de tiros e o Aloysio acabou baleado.

Suspeito preso

Na segunda-feira (20), um homem de 19 anos foi preso no Hospital Federal de Bonsucesso suspeito de estar no veículo que furou a blitz.

De acordo com o delegado da 21ª DP (Bonsucesso), Aguinaldo Ribeiro, o suspeito contou que estava no veículo com outros dois comparsas. Eles praticaram o roubo do carro seguido de sequestro. Todos os três suspeitos são da favela Nova Holanda, informou a polícia.

Ainda segundo Ribeiro, o homem de 19 anos está com ferimentos nos dois braços e, por isso, procurou atendimento hospitalar. O delegado informou ainda que ele já havia sido preso por roubo e estava em liberdade condicional há 15 dias. A polícia procura os outros dois suspeitos que estavam no veículo. O rapaz preso ficará internado no hospital sob custódia.

PM instaura inquérito

Segundo nota divulgada pela Polícia Militar, a blitz realizada durante a madrugada tinha como objetivo checar os veículos que saíam da região da Mangueira, favela ocupada para a implantação da 18ª Unidade de Polícia Pacificadora.

Ainda de acordo com a nota, o tenente-coronel Gláucio Moreira, comandante do 22º BPM (Maré), decidiu que vai instaurar Inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias da morte do homem.

A PM informou também que o comandante já apurou que os policiais foram atacados a tiros pelo grupo que detinha representante de vendas como refém.          

veja também