MENU

Corpo de Maria Stella Libânio será cremado nesta segunda em Minas

Corpo de Maria Stella Libânio será cremado nesta segunda em Minas

Atualizado: Segunda-feira, 20 Junho de 2011 as 12

Será cremado nesta segunda-feira (20), às 16h, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o corpo de Maria Stella Libânio Christo, mãe de Frei Betto. Ela tinha 94 anos e morreu na tarde deste domingo (19), na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

De acordo com a neta de Maria Stella, Isabella Christo, a avó tinha um câncer linfático que foi descoberto no início deste ano. “Ela estava lúcida, com uma memória excelente, como sempre”, disse. Ainda segundo Isabella, para evitar sofrimento, a avó foi sedada pouco antes de morrer.     Maria Stella teve oito filhos – um falecido – e 15 bisnetos. Isabella não soube dizer quantos netos ela tinha, mas ressaltou que eram muitos.

Ela era culinarista e escritora, e seu primeiro livro foi escrito na década de 1960, o “Fogão de lenha – 300 anos de cozinha mineira”. Há também as obras “Saborosa viagem pelo Brasil “ (2005), “Quentes e frios” (2008) e “Fogãozinho” (2010). Ela gostava de escrever, particularmente, sobre a cozinha mineira.

Frei Betto é mineiro de Belo Horizonte e tem 51 livros editados no Brasil e no exterior. Ele estudou jornalismo, antropologia, filosofia e teologia. O frade dominicano ganhou em 1982 o Jabuti, principal prêmio literário do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro, por seu livro de memórias “Batismo de sangue”.

Em 1986, foi eleito Intelectual do Ano pelos escritores filiados à União Brasileira de Escritores, que lhe deram o prêmio Juca Pato por sua obra “Fidel e a religião”. O livro "A noite em que Jesus nasceu" venceu o prêmio de Melhor Obra Infanto-Juvenil de 1998, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Em 2005, o júri da Câmara Brasileira do Livro premiou o escritor mais uma vez com o Jabuti, agora na categoria Crônicas e Contos, pela obra “Típicos tipos – perfis literários”.            

veja também