MENU

Corpo do ex-presidente do BNDES será enterrado na Zona Sul do Rio

Corpo do ex-presidente do BNDES será enterrado na Zona Sul do Rio

Atualizado: Segunda-feira, 22 Agosto de 2011 as 11:50

Antônio Barros de Castro, ex-presidente do BNDES

(Foto: Mônica Imbuzeiro/Agência O Globo)

  O corpo do economista Antônio Barros de Castro , ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), será enterrado na tarde desta segunda-feira (22), no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

Segundo funcionários do local, a cerimônia está prevista para as 17h, mas pode ser antecipada. Antes disso, o corpo será velado a partir das 11h no hall do Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Praia Vermelha, também na Zona Sul.

Castro, de 73 anos, morreu na tarde de domingo (21) após o desabamento da laje da casa onde morava na Rua Icatú, no Humaitá.

De acordo com a Defesa Civil, um problema estrutural na laje foi o responsável pelo desmoronamento. O imóvel foi completamente interditado. A Secretaria de Conservação (Seconserva) já foi acionada para demolir a área onde aconteceu o desabamento.

Ainda segundo a Defesa Civil, as estruturas de outras casas vizinhas à residência de Antônio Barros de Castro não foram afetadas.

Economista estudava quando aconteceu o acidente

Na noite de domingo (21), a filha do economista, Ana Clara Barros, contou que ele estudava em seu escritório quando aconteceu o acidente. Chorando bastante, ela destacou que ainda não está preocupada com as possíveis causas do desmoronamento.

"Não queremos entrar no mérito do motivo do acidente. O que vale é a pessoa que ele foi. Todos os quatro filhos, a neta e a esposa o amavam muito. Infelizmente ele foi embora deixando um vazio dentro dos nosso corações", afirmou Ana Clara, relembrando o cotidiano recente do pai, que conduziu o BNDES no governo do presidente Itamar Franco e era também professor emérito do Instituto de Economia da UFRJ.

"Ele sempre foi uma pessoa muito estudiosa e ativa. Ainda dava palestras e escrevia artigos. Não à toa estava estudando quando a laje desabou", ressaltou a administradora de empresas.

No início da noite de domingo (21), o atual presidente do BNDES, Luciano Coutinho, divulgou nota oficial lamentando o ocorrido. "O professor Barros de Castro foi capaz de conciliar uma brilhante carreira acadêmica, tornando-se uma referência no pensamento econômico brasileiro, com o enfrentamento de grandes desafios como homem público. Ele deixa para todos nós um legado de compromisso com o desenvolvimento do Brasil, e sem dúvida fará muita falta ao nosso país", declarou Coutinho.          

veja também