MENU

Corregedorias vão apurar confronto da PM e Civil na Grande BH

Corregedorias vão apurar confronto da PM e Civil na Grande BH

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 3:30

A ação das polícias Civil e Militar durante a prisão dos suspeitos de sequestrar um gerente de banco em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vai ser investigada pelas corregedorias das duas corporações. Teria havido um confronto entre membros das polícias que chegaram ao local quase ao mesmo tempo para efetuar o flagrante, nesta quarta-feira (2), e foi dada voz de prisão a um tenente da Polícia Militar.

A Polícia Civil foi a primeira a chegar em carro descaraterizado e, na suposta confusão, o tenente foi conduzido ao camburão, segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

De acordo com o tenente-coronel Alberto Luiz, chefe do Departamento de Comunicação Social da Polícia Militar, os militares compareceram ao local acionados pelo 190, por um solicitante que informava sobre um suposto assalto.  Luiz afirma que apurações preliminares dão conta que, quando os militares chegaram, os policias civis estavam em trajes sem caracterização e faziam a abordagem aos suspeitos de sequestro. Ela ressalta que o desentendimento entre as polícias presenciado por testemunhas "não é o comportarmento padrão que deve ser adotado por autoridades policiais".

A Polícia Civil não apresentou ao G1 versão para o ocorrido. A assessoria  informou que vai aguardar a apuração da corregedoria, que fica responsável por dar os esclarecimentos.

A Secretaria de Estado de Defesa Social informou que vai ser aberto, nesta quinta-feira (3), um procedimento de apuração a partir de uma portaria conjunta das polícias Civil e Militar. O objetivo é "esclarecer como se deu o fato, investigar e eventualmente responsabilizar envolvidos nesta confusão”, segundo a assessoria da Seds. A secretaria não informou quantos policiais vão ser alvo da investigação.

Prisão dos sequestradores

Cinco homens foram presos em flagrante suspeitos de sequestrar um gerente de banco e a mulher dele, nesta quarta-feira (2), em Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, dois deles foram detidos quando estavam no carro da vítima. Parte do dinheiro conseguido com o roubo foi apreendida com os suspeitos.

O gerente foi obrigado a sacar cerca de R$ 250 mil, na manhã desta quarta-feira (2), depois de passar a noite em poder dos criminosos, no bairro Petrolândia, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), cinco homens teriam surpreendido o gerente quando ele chegava em casa, nesta terça-feira (1º), no bairro Castelo, na Pampulha, em BH. Ele e a mulher dele foram feitos reféns pelos suspeitos.

Segundo a polícia, na manhã desta terça-feira (2), o gerente e a esposa foram levados até a agência em que ele trabalha em Contagem, na Grande BH. Depois de sacar o dinheiro o homem foi deixado no local e a mulher dele continuou em poder dos criminosos. De acordo com a PM, pouco tempo depois, ela foi liberada próximo às Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), em Contagem.

Os suspeitos estão presos no Departamento de Operações Especiais (Deoesp), no bairro Gameleira, na Região Oeste de Belo Horizonte.    

veja também