MENU

Correios promovem campanha para evitar ataques de cães a carteiros

Correios promovem campanha para evitar ataques de cães a carteiros

Atualizado: Segunda-feira, 8 Setembro de 2008 as 12

Nos últimos cinco anos, cerca  de cinco mil carteiros sofreram ataques de cães no Brasil. As mordidas são o terceiro motivo de acidente de trabalho entre carteiros.  No ano passado, foram 1.098 ataques. O estado com maior número de casos é São Paulo, com 1.612 ataques registrados desde 2003. Em seguida vêm Paraná (1.047), Rio Grande do Sul (680) e Rio de Janeiro (474). Para reduzir o número e garantir  a segurança e a integridade física dos profissionais, os Correios iniciaram  neste mês uma campanha para pedir à população que tome algumas medidas para evitar ataques de cães.

A campanha já estão sendo realizada no Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, São Paulo, Paraná e Distrito Federal e se estende até janeiro de 2009.

O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom-PR), Nilson Rodrigues dos Santos,  acredita que o  número real de mordidas de cachorro é bem maior, uma vez que os ferimentos mais leves  não chegam a ser registrados. "Com a deficiência na área de segurança pública, as pessoas tendem a criar cachorros para sua própria defesa, o que aumenta os riscos para os carteiros", argumenta.

Os Correios apontam como uma das principais causas do ataque canino,  a falta ou a instalação inadequada de caixas receptoras de correspondências, o que obriga os carteiros  a entrar no pátio de residências e lojas, aumentando os riscos de ataques.  Durante a campanha, as localidades de risco vão mapeadas por esses profissionais.

Os domicílios sem caixa receptora de correspondências ou com caixa mal posicionada serão orientados a corrigir o problema de forma a evitar a exposição do carteiro ao risco de um ataque pelo cão.

Para o carteiro curitibano Pedro Meira, 32 anos, os cães de alguma forma reconhecem o profissional pela cor da roupa, o uniforme, e "os trata como invasores de domicílio". Ela conta que estava voltando para casa uniformizado quando um cão veio em sua direção furioso e o mordeu no braço. Ele levou dez pontos e ficou dez dias afastado do trabalho. "Depois disso fiquei atento e percebi que outras pessoas passam num mesmo local e os cães nem latem. Basta um carteiro passar para eles ficarem mais agressivos."

Muito pessoas são assinantes de jornais e revistas. Por isso, os Correios recomendam que a caixa tenha dimensões para que sejam depositados nela. As seguintes medidas são recomendadas:  36 cm de profundidade, 27 cm de largura, 16 cm de altura e abertura de 25 cm de largura por 2 cm de altura. A caixa deve ser instalada entre 1,20 m e 1,60 m do piso, com a abertura voltada para a rua. Os Correios vão ainda divulgar o prazo para que os moradores possam se adequar.

Postado por: Claudia Moraes

veja também