MENU

CPI da Pedofilia tomará depoimentos no Pará

CPI da Pedofilia tomará depoimentos no Pará

Atualizado: Quinta-feira, 5 Março de 2009 as 12

Os senadores Magno Malta (PR-ES), Romeu Tuma (PTB-SP), Demóstenes Torres (DEM-GO), José Nery (PSOL-PA) e Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) devem participar, nos próximos três dias, da tomada de depoimentos de envolvidos em denúncias de Pedofilia no Pará. Os parlamentares, que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, começam nesta quinta-feira, 5 de março, as diligências em Belém, realizando reunião pela manhã com membros do Tribunal de Justiça do estado e, na parte da tarde, dando início às oitivas.

Após reunião do colegiado realizada nesta quarta-feira, 4, Magno Malta, presidente da CPI, destacou que o trabalho a ser realizado no Pará visa fortalecer a investigação realizada pela polícia paraense e romper possíveis pressões devido ao envolvimento de autoridades locais nas denúncias. Em dezembro, a Promotoria da Infância e Juventude do Pará pediu a abertura de inquérito contra o deputado estadual Luiz Afonso Sefer (DEM), acusado de abusar sexualmente de uma menina de 13 anos. A CPI também convocou a depor, entre outros, João Carlos Vasconcelos Carepa, irmão da governadora do Pará, citado no caso.

Em entrevista à Agência Senado, Romeu Tuma lembrou que denúncias de exploração sexual de menores no Pará são sistematicamente investigadas pela Polícia Federal. "Quando fui delegado da Polícia Federal, fizemos diversas operações no Pará, de resgate de menores em bordéis, em bares. Esse quadro amargo persiste e, nessas denúncias recentes, é preciso apurar com rigor. Precisamos apoiar as autoridades policiais, os juízes, para impedir que esse mecanismo tão deprimente tenha continuidade",  disse.

Na viagem ao Pará, Tuma também tratará de investigação em torno do assassinato do senador Olavo Pires, ocorrido em 1990. "Foi preso em Belém mais um elemento da quadrilha responsável pelo crime e eu estarei lá, acompanhando o caso por deliberação da Presidência do Senado",  informou.

veja também