MENU

CPI no DF adia mais uma vez a eleição do presidente

CPI no DF adia mais uma vez a eleição do presidente

Atualizado: Quarta-feira, 3 Março de 2010 as 12

A CPI da Corrupção da Câmara Legislativa do Distrito Federal adiou mais uma vez a eleição do novo presidente, que deverá ocupar a vaga deixada pelo deputado Alírio Neto (PPS), que deixou a comissão no final de janeiro por orientação do partido. Sem presidente há mais de um mês os trabalhos da comissão não avançaram e os deputados que integram a CPI não conseguiram ouvir ninguém.

O relator da CPI, deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), admitiu que os resultados da CPI não são satisfatórios.

- Se analisar pelos resultados é frustrante, mas foi feito um esforço para a oitiva do senhor Durval [Barbosa, delator do suposto esquema de pagamento de propina dentro do governo do DF], mas aconteceram uma série de fatos que determinaram que a CPI não ocorresse como desejado.

Segundo a deputada Eliana Pedrosa (DEM), que presidiu a reunião, a decisão de adiar a eleição do novo presidente foi tomada por "respeito" ao deputado Batista das Cooperativas (PRP) que não compareceu a reunião desta quarta-feira (3) porque estava doente. A eleição do novo presidente da comissão foi adiada para a próxima segunda-feira, às 15h.

A CPI da Corrupção foi criada para investigar o suposto esquema de corrupção dentro do governo do DF. O esquema foi deflagrado com a Operação Caixa de Pandora em 27 de novembro de 2009.

A operação abriu uma crise política no Distrito Federal que resultou na prisão do governador afastado José Roberto Arruda (ex-DEM, sem partido), na renúncia do ex-vice-governador Paulo Octávio (ex-DEM, sem partido) e em um pedido de intervenção federal no DF feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

O governador afastado está preso desde o dia 11 de fevereiro na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinou a prisão temporária de Arruda por uma suposta tentativa de suborno ao jornalista Edmilson Edson dos Santos, o Edson Sombra.

Por: Lais Lis 

veja também