Criminosos matam homem, capotam carro e sequestram frentista na fuga

Criminosos matam homem, capotam carro e sequestram frentista na fuga

Atualizado: Terça-feira, 1 Novembro de 2011 as 12:53

A Polícia Civil em Caieiras, na Grande São Paulo, procura dois criminosos que renderam e atiraram num mecânico dentro de seu carro, que capotou após reação da vítima, e ainda sequestraram um frentista com seu veículo que havia parado para ajudar os feridos no acidente. O crime ocorreu na noite desta segunda-feira (31), por volta das 22h40 na Avenida Olindo Dartora.

Carlos Cesar dos Santos, de 44 anos, chegou a ser socorrido pela Polícia Militar e bombeiros, mas morreu ao dar entrada no pronto-socorro do hospital da cidade. A polícia trabalha com várias hipóteses, desde latrocínio até homicídio. Uma das linhas de investigação é que ele estava na frente de sua casa quando foi pego pelos bandidos. Ele iria para um culto evangélico. Depois, foi colocado no banco traseiro do seu  Volkswagen Santana, reagiu ao assalto, entrou em luta corporal com os criminosos e foi baleado no tórax. Um dos criminosos, que dirigia o automóvel, pode ter perdido o controle e capotado. A outra possibilidade é que a vítima tenha sido executada. Um revólver foi encontrado dentro do veículo.

O frentista de 23 anos que havia parado seu Fiat Pálio na via após ver o Santana tombado afirmou à polícia que pensou em ajudar as supostas vítimas, mas que foi abordado por dois homens que saíram do carro acidentado e simularam estar armados. Ele foi colocado no banco de trás com um dos criminosos. O outro assumiu o volante, dirigiu por cerca de 5 km e abandonou o frentista na Rua João Casarotto, também em Caieiras.

Até o início da manhã desta terça-feira (1º), o Fiat e os criminosos não foram localizados. A polícia também tenta identificar os assaltantes.

O caso foi registrado na Delegacia do centro de Caieiras. “Estamos focados em esclarecer esse crime, que pode ser um roubo seguido de morte ou até mesmo um assassinato. Vamos ouvir o sobrevivente, que teve o seu carro roubado, e outras testemunhas, como os familiares do homem que foi morto”, disse o delegado Fábio Lopes Cenachi ao G1 .    

veja também