MENU

Criminosos soltam idoso para ele pagar o próprio resgate, diz polícia

Criminosos soltam idoso para ele pagar o próprio resgate, diz polícia

Atualizado: Segunda-feira, 25 Julho de 2011 as 5:09

Delegado Artur Dian conta como foi o sequestro

(Foto: Carolina Iskandarian/ G1)

  Depois de um dia em poder dos criminosos, o aposentado de 78 anos, sequestrado na manhã de quinta-feira (21), na Zona Sul de São Paulo, foi libertado para que conseguisse com seus familiares pagar o próprio resgate. Segundo a polícia, os sequestradores exigiram uma quantia em dinheiro não especificada, uma televisão e um notebook. “Optaram por libertar a vítima e a pressionaram para que o resgate fosse pago e ela não fosse sequestrada novamente”, contou nesta segunda (25) o delegado Artur Dian, titular da 2ª Delegacia Anti-Sequestro.     Como a polícia havia sido chamada desde que o aposentado fora levado, no bairro Valo Velho, ela participou do momento em que o acordo foi feito. No momento do pagamento do resgate, na noite de sexta (22), os policiais abordaram os dois sequestradores. Eles reagiram. Na troca de tiros, um policial ficou ferido, um criminoso morreu e o outro conseguiu fugir por um matagal mesmo ferido. Os policiais acreditam que haja mais criminosos envolvidos com a quadrilha. 

O confronto foi em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, no local combinado entre a vítima e os sequestradores. “Em um caso de extorsão mediante sequestro, não é comum (soltar o refém). Acredito que eles tenham tido dificuldade em manter a vítima em cativeiro e optaram pelo acordo. É uma forma de coação”, afirmou o delegado Edson Jorge Aidar, responsável pela Divisão Anti-Sequestro, que é subordinada ao Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic).

Delegado mostrou no computador a foto do carro

dos bandidos depois da troca de tiros

(Foto: Carolina Iskandarian/ G1)

  O delegado Artur Dian contou que o aposentado foi solto na BR-116, em Itapecerica da Serra, com o próprio carro, um Uno, e conseguiu voltar para casa na manhã de sexta. O pagamento do resgate foi marcado para as 23h, horário em que houve o confronto com a polícia. Dian disse que a vítima está “bastante abalada” e não chegou a ser agredida, mas foi ameaçada de morte. Segundo ele, os sequestradores sabiam da rotina no idoso, o que pode ter contribuído para o sequestro.

No entanto, a polícia não informou como os criminosos conheciam o aposentado. “Ele não reconheceu nenhum dos sequestradores”, disse Dian, acrescentando depois que os policiais ainda não encontraram o cativeiro. Pela descrição do refém, ouvido informalmente pela polícia até agora, o local era pequeno, uma casa bem simples. “Ele não ficou amarrado, mas sofreu bastante; o tempo todo foi ameaçado”, afirmou o delegado.      

veja também