MENU

De olho na Copa de 2014, PMs de SP vão à Africa do Sul

De olho na Copa de 2014, PMs de SP vão à Africa do Sul

Atualizado: Terça-feira, 8 Junho de 2010 as 9:46

Ainda faltam quatro anos para a Copa do Mundo no Brasil, mas a Polícia Militar já planeja o esquema da segurança do evento em São Paulo - o jogo de estreia em 2014 pode acontecer no Estádio do Morumbi, na Zona Sul. Seis oficiais vão para a África do Sul com a missão de colher dados sobre o método de segurança da polícia durante o mundial que começa sexta-feira (11). Além disso, o comandante da PM, coronel Álvaro Camilo, e o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, foram recentemente a Israel para aprender como a polícia de lá combate e previne ataques suicidas e ameaças de bombas em grandes eventos esportivos.

“Estamos mandando agora seis oficiais para a África do Sul para acompanhar os eventos dentro do estádio, fora do estádio, como a polícia está organizando o  trabalho. O intercâmbio está sendo muito grande, a experiência está sendo muito rica tanto com a Federação Internacional [Fifa] quanto com a polícia da África do Sul”, afirmou Camilo em entrevista ao G1 .

“A polícia de São Paulo está bem preparada contra o crime nos grandes eventos que acontecem normalmente aqui. Vou dar exemplos: réveillon na Paulista, Virada Cultural, Parada GLBT, São Silvestre, Fórmula 1, Fórmula Indy. Só que nós temos, agora, eventos internacionais. E tem principalmente um delito que acontece no mundo, uma situação que acontece no mundo, que é o terrorismo. E a polícia do Brasil, não só a de São Paulo, não tem essa experiência”, afirmou Camilo, também presidente do Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das Policias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil.

Segundo o coronel, a comitiva do governo paulista voltou de Israel com várias propostas antiterroristas das forças de segurança daquele país. A PM anunciou, por exemplo, que vai comprar modernos equipamentos e tecnologia estrangeira.

“Vimos muita tecnologia lá em Israel. Tecnologias de você conseguir identificar pessoas através de uma parede de até 50 centímetros. Tecnologia para bloqueio de celular, que é um problema que a gente tem aqui ainda nos presídios. Câmeras até mais potentes nós chegamos a ver. Chegamos a ver câmeras que identificam pessoas no mar a 5 quilômetros [de distância]. Aparelhos de escuta direcionada. São aparelhos importantes que podem agregar valor ao serviço policial”, explicou Camilo.

Ainda como parte do intercâmbio, está programada a vinda da polícia israelense à capital paulista. “Foi um seminário patrocinado pelo governo de Israel com relação aos grandes eventos esportivos. Eles têm uma "expertise" nessa área, desenvolvida desde 1972. E nós conhecemos lá várias técnicas de policiamento. Conhecemos vários equipamentos de segurança que interessam de sobremaneira ao sistema policial e ao sistema penitenciário. Foi uma viagem muito produtiva. E consta que eles virão a São Paulo também dar continuidade a esse trabalho”, afirmou o secretário Ferreira Pinto.

Atendimento em várias línguas

Em São Paulo,  o comando da PM pretende oferecer cursos em diversas línguas para policiais militares até 2013. A ideia é prepará-los para atender torcedores e turistas de outras nações que estiverem na capital para a Copa.

Durante a Copa de 2014, o coronel disse esperar que o Central de Operações da Polícia Militar (Copom) já possa ter ampliado o sistema de atendimento para outras línguas. “O Copom [que funciona pelo serviço telefônico 190 ] de São Paulo hoje já atende pessoas em outras línguas. Se você ligar lá e começar a falar inglês, o policial pede para você esperar um momento. A mesma coisa com a língua espanhola. Estamos montando um esquema para falar nas demais línguas.”

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também