MENU

Decreto do governo de MS restringe entrada de produtos do Paraguai

Decreto do governo de MS restringe entrada de produtos do Paraguai

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 9:19

Pelo menos 800 animais foram sacrificados

no Paraguai (Foto: Reuters/Senacsa)

  O governo de Mato Grosso do Sul proibiu a entrada de produtos e subprodutos orgânicos e agropecuários e de veículos originários do Paraguai. A medida, publicada nesta segunda-feira (26), no Diário Oficial do estado, é válida inicialmente por cinco dias, objetiva conter riscos fitossanitários, como a disseminação da febre aftosa e outras zoonoses.

A exceção do decreto é relacionada aos produtos de origem animal e vegetal submetidos a processamento industrial, que inativam o vírus da febre aftosa.

O decreto é consequência da descoberta do foco de febre aftosa em uma fazenda no Paraguai, no distrito de San Pedro, a 150 quilômetros de Iguatemi (MS). A situação alarmou as autoridades sanitárias no Brasil, já que Mato Grosso do Sul é área livre de aftosa com vacinação.     Segundo informações da diretora-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), Maria Cristina Galvão Carrijo, a medida é válida para veículos diretamente relacionados ao transporte de produtos e subprodutos orgânicos e agropecuários.

No texto, a justificativa é a necessidade de aplicar medidas sanitárias preventivas para impedir o ingresso e a passagem de animais, seus produtos e subprodutos e os de origem vegetal que possam transportar o agente causador da febre aftosa. O estado levou em conta ainda os danos econômicos que a doença pode trazer a Mato Grosso do Sul.

A aplicação do decreto será de responsabilidade da secretaria de estado e Desenvolvimento Agrário, da Produção e Indústria. O decreto pode ser prorrogável por até mais dez dias.

Desde a descoberta do foco de febre aftosa, o governo paraguaio já determinou a interdição da fazenda e que as exportações de carne serão suspensas por prazo de 80 dias.          

veja também