Defensoria pede liberdade para mães das "meninas do arrastão"

Defensoria pede liberdade para mães das "meninas do arrastão"

Atualizado: Sábado, 13 Agosto de 2011 as 10:05

A Defensoria Pública informou que entrou com um pedido de relaxamento de prisão, na tarde desta sexta-feira, para que as quatro mães de meninas que faziam arrastões na região da Vila Mariana (zona sul de São Paulo) sejam soltas.

As mães foram presas na noite de quinta-feira (11) após serem localizadas pelo Conselho Tutelar para buscarem as sete meninas apreendidas ontem pela Polícia Militar.

De acordo com a Defensoria, a prisão foi irregular.

Após deixarem o 36ºDP (Paraíso) na manhã de hoje, foram encaminhadas para o 97ºDP (Americanópolis). De lá, elas devem ser encaminhadas para um CDP (Centro de Detenção Provisória), mas a SSP (Secretaria de Segurança Pública) não soube informar para qual seria.

O órgão não informou o nome do defensor que está atuando no caso.

As garotas foram apreendidas na tarde de ontem após cercarem um carro com duas mulheres, na esquina das avenidas Professor Noé Azevedo e Lins de Vasconcelos, pedindo bolsas, dinheiro e celulares.

Segundo a polícia, o carro foi cercado por cerca de 15 meninas, mas apenas sete foram apreendidas. Dessas sete, três são crianças e quatro são adolescentes -- uma delas tem 14 anos, três têm 13 anos, duas têm 11 e uma tem 10.

Ontem, elas chegaram a passar pelo núcleo de identificação da Fundação Casa, para tentarem ser identificadas corretamente. No entanto, nenhuma delas tem passagem pela fundação.

Todas as garotas apreendidas foram encaminhadas para um abrigo pelo Conselho Tutelar.

Danilo Verpa/Folhapress Meninas que fazem arrastões na Vila Mariana (zona sul de São Paulo) são apreendidas novamente

Como as vítimas não quiseram aguardar para registrar o boletim de ocorrência no 36º DP (Paraíso), o delegado instaurou um procedimento para investigar o que houve exatamente no semáforo.

As meninas são moradoras dos bairros Cidade Tiradentes e São Mateus (zona leste). No entanto, para a polícia elas haviam dito que eram de Diadema (Grande São Paulo).

O soldado da PM Marcos Beltrão afirmou que as garotas detidas ontem fazem parte do grupo de 15 que faz arrastão pela região.

"São sempre as mesmas, e tem mais dois menininhos que às vezes estão com elas também. Do segundo semestre do ano passado até agora, já apreendemos essas crianças umas 17 vezes."

O delegado estipulou fiança de R$ 182 para cada uma --o valor mínimo permitido pela legislação (dois terçcos de um salário mínimo). A Defensoria não soube informar se a fiança será paga.

FUGITIVAS

As mães disseram à polícia que não sabem mais o que fazer com as filhas. Afirmaram que as meninas saem de casa para ir à escola, mas fogem.

A   Folha   ouviu a conversa de uma mãe com a filha no banheiro da delegacia. Ela chamou a criança de "besta".

"Você foi voltar no mesmo local do crime? Você é uma besta mesmo", disse a mãe.

Para o delegado, as meninas apreendidas são "crianças sapecas" em situação de risco. "São meninas desassistidas pelos pais, pela sociedade, pelo governo", afirmou Nilson.    

veja também