MENU

Defesa Civil diz que não há como fazer resgate em pedreira de Santos

Defesa Civil diz que não há como fazer resgate em pedreira de Santos

Atualizado: Terça-feira, 12 Abril de 2011 as 1:51

O coordenador técnico da Defesa Civil de Santos, Ernesto Tabuchi, disse nesta terça-feira (12) que por enquanto não é possível fazer um trabalho de resgate na pedreira onde houve um desabamento nesta manhã no litoral de São Paulo. De acordo com o Corpo de Bombeiros e com a Max Brita Comercial, empresa responsável pela mina, duas pessoas foram soterradas e outras duas conseguiram escapar.

Tabuchi não quis confirmar o número de desaparecidos, mas disse que não há condições para efetuar um resgate no momento. “Há o risco de novos desplacamentos de blocos rochosos de grandes proporções”, afirmou. Segundo ele, especialistas foram chamados e estavam a caminho do local no início desta tarde para fazer um plano de resgate. “Foi um acidente fora do comum, mesmo em pedreiras.”

O acidente aconteceu na Pedreira Santa Teresa, onde é feita extração de granito, por volta das 6h15. Ela fica na altura do km 246 da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, na parte continental de Santos. Quatro pessoas trabalhavam dentro da mina. Um bloco de pedra desmoronou e, com isso, provocou um deslizamento de terra, fazendo com que toda a estrutura desabasse em poucos segundos.

Um caminhão e um trator que faziam os trabalhos de escavação ficaram pendurados. O buraco aberto para realizar o trabalho da empresa tem aproximadamente 50 metros.

De acordo com as primeiras estimativas da Defesa Civil de Santos, 30 mil metros cúbicos de material rochoso se desprenderam, o que equivale a cerca de 50 mil toneladas.     Segundo Tabuchi, uma das hipóteses iniciais levantadas é a de que as chuvas que caíram no mês de fevereiro na região possam ter contribuído para o acidente. Entretanto, nada foi confirmado.

Além da Defesa Civil de Santos, estavam no local no início da tarde desta terça uma equipe da Defesa Civil do Guarujá, a Polícia Técnica e a Policia Civil.

Segundo a assessoria de imprensa da Max Brita Comercial, as duas pessoas que conseguiram escapar não sofreram ferimentos. Elas foram encaminhadas para atendimento médico apenas por precaução. Ainda segundo a empresa, o acidente aconteceu logo no início dos trabalhos, quando os funcionários faziam transporte de material.

O engenheiro responsável pela mina, que funciona desde a década de 1970, estava a caminho do local no início desta tarde. As famílias dos desaparecidos estão recebendo assistência, segundo a empresa.    

veja também