MENU

Defesa Civil promete melhor sistema de monitoramento de chuvas em SP

Defesa Civil promete melhor sistema de monitoramento de chuvas em SP

Atualizado: Quarta-feira, 1 Dezembro de 2010 as 8:41

A Defesa Civil lança nesta quarta-feira (1º) uma ação para minimizar o impacto das chuvas no estado de São Paulo. Segundo o órgão, a Operação Verão deste ano contará com uma evolução no sistema de monitoramento pluviométrico, que permitirá uma melhor coordenação dos esforços para minimizar os estragos provocados por inundações e desmoronamentos.

Um dia antes do lançamento da operação, uma chuva forte atingiu a Grande São Paulo, provocando alagamento e bloqueio de muitas vias. Logo no início do temporal, a Defesa Civil da capital paulista emitiu um comunicado que informava sobre o potencial de enchente. Duas regiões chegaram a ficar em alerta por causa do transbordamento de córregos.   O coronel José Felix Drigo, coordenador do órgão estadual, afirmou que a Defesa Civil conta, atualmente, com mais de 200 postos de monitoramento dos índices pluviométricos instalados na capital paulista, na região metropolitana de São Paulo, no Vale do Paraíba, no Vale do Ribeira e na Baixada Santista. O sistema telemétrico de monitoramento dispõe de sensores que equacionam dados como índice pluviométrico, umidade relativa do ar e nível dos rios. “Com esse sistema, diante de qualquer variação significativa, a Defesa Civil pode acionar os procedimentos necessários para evitar tragédias”, explicou o coronel.

Parte dos postos de monitoramento do estado foi reaparelhada, segundo ele. Em São Paulo, os rios Tietê e Pinheiros já eram monitorados pelo sistema telemétrico, mas a cidade pretende, a longo prazo, monitorar todos os rios. Alguns municípios que sofreram com as enchentes no ano passado, como São Luiz do Paraitinga, também serão monitoradas daqui para frente.

Os postos telemétricos de monitoramento devem estar integrados até janeiro de 2011. “Espero que, entre dezembro e janeiro, eles estejam todos funcionando de forma integrada, o que vai permitir à Defesa Civil reduzir muito o seu tempo de resposta”, declarou o coronel Drigo.

Mapeamento das áreas de risco

Ainda no esforço de identificar com antecedência as áreas de maior risco do estado, foram mapeados vários pontos sujeitos a inundações, escorregamentos e erosões. Na região do Vale do Paraíba, por exemplo, a Defesa Civil mapeou as áreas de risco nas cidades de Aparecida, Caçapava, Pindamonhangaba, Redenção, Roseiras, Taubaté e Tremembé.

A expectativa da Defesa Civil é que o verão tenha níveis normais de chuva. "Estamos sob efeito de La Niña, que normalmente traz estiagem. O verão anterior foi atípico. A expectativa é que esse verão tenha menos chuvas do que o verão do ano passado", disse o coronel.    

veja também