MENU

Defesa de acusados em Campinas vê "terrorismo judicial"

Defesa de acusados em Campinas vê "terrorismo judicial"

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 1:07

A defesa dos acusados de participação em esquema de fraudes em licitações da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento de Campinas (Sanasa) denunciam "terrorismo judicial" contra seus clientes, presos preventivamente desde sexta-feira no 2.º Distrito Policial.

A expressão foi usada pelo advogado Augusto Arruda Botelho ao analisar a situação de seu cliente Aurelio Cance Junior, diretor técnico da Sanasa, que ocupa uma cela comum com outras 10 pessoas, entre elas, empresários e ex-integrantes do primeiro escalão da Prefeitura de Campinas. Todos foram alvo de operação da força-tarefa do Ministério Público, da Polícia Militar e da Corregedoria da Polícia Civil.

A listagem de prisão contém 20 nomes. Nove são considerados foragidos da Justiça, entre eles o vice prefeito Demétrio Vilagra (PT), os secretários de segurança, Carlos Henrique Pinto, e das Comunicações, Francisco de Lagos. Ficou de fora Rosely Nassin Jorge Santos - mulher e chefe de gabinete do prefeito de Campinas, Dr. Hélio (PDT) - que dispõe de um habeas corpus preventivo.

veja também