MENU

Defesa de Marcos Valério quer adiar audiência sobre mensalão em MG

Defesa de Marcos Valério quer adiar audiência sobre mensalão em MG

Atualizado: Terça-feira, 6 Dezembro de 2011 as 1:12

Marcos Valério deixa delegacia em Belo Horizonte

(Foto: Reprodução/TV Globo) Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão, foi intimado a comparecer a uma audiência nesta terça-feira (6), em Belo Horizonte, sobre o suposto esquema de desvio de recursos públicos, segundo o advogado dele, Marcelo Leonardo. O advogado disse ainda que vai pedir o adiamento da audiência. Valério está preso na Bahia suspeito de grilagem de terras.

A audiência esta marcada para as 13h30, na 9ª Vara Criminal do Fórum Laffayette. Valério está listado como réu no processo. “Ele [Marcos Valério] foi intimado um dia antes de ser preso. Como ele está preso, não vai poder comparecer”, disse o advogado.

A assessoria do Fórum Laffayette informou que foram expedidos dois mandados de intimação para Valério comparecer a audiência, mas ele não foi encontrado. Marcos Valério é apontado pelo Ministério Público Federal como operador do esquema do mensalão. O processo investiga o suposto esquema de desvio de recursos públicos na campanha à reeleição, em 1998, do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo. Um dos 38 réus no processo que corre no Supremo Tribunal Federal, Valério foi acusado dos crimes de corrupção ativa, peculato (quando servidor público usa a função no desvio de recursos em benefício dele e de terceiros), lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas.

Ao apresentar as alegações contra as acusações do mensalão, o réu negou ser operador do esquema e disse que o mensalão foi uma "criação mental".

Prisão

Marcos Valério foi preso na manhã desta sexta-feira (2) em Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, além dele, outras 14 pessoas foram detidas em cumprimento de mandados expedidos pela Justiça da Bahia.

De acordo com o promotor Carlos André Milton Pereira, do Ministério Público da Bahia, a fraude em registros públicos de imóveis era usada para conseguir empréstimos. “Seriam, de uma forma sintética, obtendo escrituras e matrículas de imóveis muitas vezes inexistentes para garantir empréstimos e execuções fiscais ou propriamente privadas”, disse. Ainda de acordo com o promotor, a fraude pode ter o envolvimento de instituições bancárias públicas, mas ele disse que não sabe precisar quais seriam.

O empresário foi transferido para Salvador , por volta das 13h26 desta sexta-feira (2). A Polícia Civil informou que eles foram transferidos em uma aeronave do governo da Bahia a pedido da Justiça. O pedido de habeas corpus de Marcos Valério foi impetrado no Tribunal de Justiça da Bahia nesta segunda-feira (5), segundo informações de Marcelo Leonardo.        

veja também