MENU

Defesa de Mizael quer revogar decretação de prisão e anular júri popular

Defesa de Mizael quer revogar decretação de prisão e anular júri popular

Atualizado: Quarta-feira, 8 Dezembro de 2010 as 9:13

A defesa do advogado e ex-policial militar Mizael Bispo de Souza, acusado de matar sua ex-namorada Mércia Nakashima, informou na terça-feira (7) que vai tentar reverter a decisão da Justiça de levar o caso a júri popular e prender o acusado.

O advogado Samir Haddad Júnior diz que entrará na Justiça com dois recursos na semana que vem - um para que Mizael responda ao processo em liberdade e outro para impedir que o caso seja levado a júri.

Haddad afirma que a espera para entrar com esses instrumentos se deve a uma licença de uma desembargadora que acompanha o caso desde o princípio. Ambos os recursos serão analisados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

A Justiça decretou na tarde de terça-feira a prisão preventiva de Mizael Bispo. Por volta das 17h40, a Polícia Civil já fazia buscas por Mizael em sua casa em Guarulhos, na Grande São Paulo. O ex-PM não foi encontrado.

Segundo Haddad, o réu não vai se entregar e ele não vai levar seu cliente à polícia.

– É um direito que lhe assiste e eu não sou carcereiro.

O crime

A audiência para ouvir as testemunhas do caso ocorreu entre os dias 18 e 21 de outubro em Guarulhos. Além das 21 pessoas listadas pela promotoria e pelos advogados dos acusados, o juiz interrogou os dois réus.

Os desembargadores da 12ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiram no dia 24 de novembro que o julgamento do caso Mércia Nakashima seria realizado em Guarulhos. A defesa havia entrado com recurso para que o júri ocorresse em Nazaré Paulista, a 64 km de São Paulo.

Mércia desapareceu no dia 23 de maio deste ano depois de visitar a avó em Guarulhos. Seu corpo foi encontrado no dia 11 de junho na represa de Nazaré Paulista. Um dia antes, o carro da advogada foi achado no mesmo local.    

veja também