MENU

Defesa do ex-deputado Carli Filho tenta reverter júri popular

Defesa do ex-deputado Carli Filho tenta reverter júri popular

Atualizado: Sábado, 12 Fevereiro de 2011 as 11:02

O juiz da 2ª Vara do Tribunal de Júri de Curitiba, Daniel Surdi de Avelar, vai determinar na segunda-feira (14) prazo de dois dias para que os advogados do ex-deputado Fernando Carli Filho apresentem as razões que os levaram a entrar com um recurso contra a sentença de pronuncia. A decisão prevê que Carli Filho responda por duplo homicídio doloso eventual na forma qualificada, o que exige a convocação de um júri popular. O julgamento ainda não tem data marcada.

O ex-deputado é acusado de ser responsável pelo acidente que matou Gilmar Yared, 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, 20, no dia 7 de maio de 2009. Carli Filho estava embriagado e em alta velocidade, quando bateu no carro onde estavam as vítimas. Segundo laudo do Instituto de Criminalística, o ex-deputado dirigia a uma velocidade entre 161 e 173 km/h.

De acordo com o professor universitário de Direito Penal, Fábio Teixeira, o objetivo do recurso é, além de ganhar tempo, conseguir que Carli Filho seja julgado por homicídio culposo e não doloso, como prevê a sentença de pronuncia. Desta forma, explicou o professor, caso o ex-deputado seja condenado, a pena será menor.

Na avaliação de Teixeira, o fato de o ex-deputado ter dirigido com a carteira de habilitação suspensa, sobre efeito de bebida alcoólica e em alta velocidade levou o juiz a caracterizar o crime como doloso.

Se a acusação permanecer como determina a sentença de pronuncia e Carli Filho for condenado, ele pode ficar preso de 12 a 30 anos. Mas caso os advogados de defesa consigam alterar a acusação para homicídio culposo, Carli Filho estará sujeito a uma pena alternativa. “A morte de duas pessoas pode virar cesta básica”, comentou o professor.  

veja também