MENU

Definida a data para depoimento de Cláudia Queiroz na Câmara

Definida a data para depoimento de Cláudia Queiroz na Câmara

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 4:08

Do G1 PR

imprimir Cláudia Queiroz não é obrigada à comparecer

(Foto: Reprodução RPC TV) O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba, que apura denúncias de corrupção na Casa, definiu na reunião desta sexta-feira (26) a data em que a jornalista Cláudia Queiroz, esposa do presidente do legislativo municipal vereador, João Cláudio Derosso (PSDB), deve depor . Ela vai receber o convite para comparecer à Casa na terça-feira (30).

O Conselho definiu também que na segunda-feira (30) os integrantes vão visitar o departamento financeiro da Câmara para avaliar a documentação referente aos contratos de publicidade firmados pela entre 2006 e 2011. No mesmo dia, os funcionários que atuavam no setor de licitação vão depor.

Técnicos do Tribunal de Contas (TC) do Paraná identificaram falhas em dois processos de licitação. Segundo o TC, a agência Oficina da Notícia - uma das vencedoras - não poderia se quer ter concorrido à licitação, pois a proprietária Cláudia Queiroz era funcionária comissionada da Casa na época.

A demissão da jornalista foi registrada no Diário Oficial do município em 1º de maio de 2006, um dia depois de a Câmara ter fechado contrato com outra empresa. De 2006 a 2011, período de vigência do contrato da empresa de Cláudia Queiroz recebeu cerca de R$ 30 milhões.

Também chamaram atenção dos técnicos do TC a falta de explicações sobre os serviços prestados pelas agências e o aumento no valor repassado às empresas.

  Jornal Câmara em Ação

Ainda será analisada a representação contra Derosso feita pela vereadora Professora Josete (PT) sobre a suposta farsa de gastos com a impressão do jornal “Câmara em Ação”.

O Conselho de Ética atribuiu à vereadora Noemia Rocha (PMDB) a responsabilidade da relatoria da representação. Com o relatório pronto, o Conselho vai definir se a denúncia será incorporda à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra Derosso.

Para que a publicação fosse impressa, foram necessários mais de R$ 12 milhões, entre 2004 e 2010, de acordo com o Portal do Controle Social, do TC. A esposa de Derosso, Cláudia Queiroz, já assinou como jornalista responsável pelo periódico.

O jornal existia em versão digital até semana passada no site oficial da Câmara, mas foi retirado do ar. De acordo com a prestação de contas, o periódico chegou a ter uma tiragem de 247 mil exemplares para uma única edição – número maior do que todos os jornais de Curitiba. Há exemplares do jornal na biblioteca da Câmara e na Biblioteca Pública do Paraná.              

veja também