Delegado aguarda transferência de irmãos presos em MG para SP

Delegado aguarda transferência de irmãos presos em MG para SP

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 2:24

A Polícia Civil de São Paulo aguarda um comunicado da polícia mineira para cuidar dos procedimentos em relação à transferência, ao transporte, à chegada e à escolta dos irmãos Vajda para presídios da capital paulista. Anderson dos Reis Vajda, o ‘Cigano’, de 33 anos, e Luciano dos Reis Vajda, o ‘Ciganinho’, de 31, foram presos na segunda-feira (28) em Arcos, Minas Gerais, após denúncia feita por policiais de MG que viram as fotos dos procurados em reportagem publicada pelo G1 um dia antes.

A dupla estava lista dos 25 mais procurados pela polícia paulista e foi presa numa operação conjunta das polícias Civil e Militar mineira. Eles eram procurados em São Paulo por crimes envolvendo tráfico de drogas e homicídios no estado. Cigano é suspeito de cometer assassinatos entre 1999 e 2004. Ciganinho é suspeito de ter matado pelo menos três pessoas. Ambos são considerados perigosos.

“Vamos aguardar a comunicação da polícia de Minas para tomar providências sobre a remoção dos irmãos”, disse o delegado Waldomiro Milanesi, chefe da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo.     A transferência dos irmãos Vajda de Minas Gerais para São Paulo deverá ocorrer antes deste final de semana. "Vai depender da Polinter [polícia interestadual], mas creio que até sexta-feira [1º de abril] eles deverão ser levados para São Paulo para terminar de cumprir as penas pelas quais foram condenados", afirmou o delegado Irineu José Coelho Filho.

O primeiro a ser preso na segunda pela polícia mineira em Arcos foi Ciganinho. Ele foi detido pela manhã em um consultório odontológico, onde trabalhava como assistente de uma dentista, namorada dele. Ela afirmou desconhecer o passado criminoso do namorado.

Durante a tarde, foi preso o irmão de Ciganinho, Cigano, que tentou fugir, mas foi localizado e algemado ainda em Arcos. Ele trabalhava numa empresa da cidade. Apesar de terem seus rostos divulgados no site da Polícia Civil e figurarem como procurados, os dois tentavam levar uma vida normal na cidade mineira.

Imprensa

A lista em que os irmãos Vajda aparecem foi publicada neste final de semana pelo G1 e, segundo a polícia de Minas Gerais, foi importante para identificar os suspeitos.

"Vimos no G1 a matéria e fizemos uma reunião entre as polícias daqui. Com a lista, reconhecemos algumas caras, cruzamos algumas informações e verificamos que essas pessoas estavam em Arcos, mas não tínhamos mandados de prisão contra elas. Por isso, entramos em contato com a polícia de São Paulo para obter estes mandados", afirmou Coelho Filho, da polícia de Minas Gerais.

“Quero dizer que a prisão deles só foi possível graças à imprensa. Foi demonstrada a importância e o papel da imprensa na sociedade em tornar público algumas questões de Justiça e informação, de denúncia e colaboração com a sociedade e questões públicas”, disse Milanesi, da polícia de São Paulo.      

veja também