Delegado ouve moradores de rua intoxicados em praça de BH

Delegado ouve moradores de rua intoxicados em praça de BH

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 1:15

A Polícia Civil começou a ouvir nesta terça-feira (17) os moradores de rua que receberam alta, após se intoxicarem com cachaça misturada com veneno chumbinho, em Belo Horizonte. O grupo de andarilhos estava em uma praça no bairro Santa Amélia, na Região da Pampulha, na capital, e encontrou uma garrafa abandonada contendo a bebida, que foi ingerida no domingo (15).

De acordo com o delegado Felipe Cordeiro, responsável pelas investigações na 2ª Delegacia Distrital de Venda Nova, ele esteve pessoalmente na praça onde os andarilhos moram para levá-los para depor oficialmente na delegacia. "Vou tentar colher o máximo de informações", disse. Segundo informações da polícia, um andarilho que voltou para o local depõe na manhã desta terça-feira (17). Mais uma pessoa deve ser ouvida ainda hoje. Ainda conforme o delegado, ainda não há suspeitos de terem envenenado os andarilhos. Moradores da região também devem ser ouvidos, mas ainda não há data definida .

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, um homem que estava internado na UPA Venda Nova e outros dois que estava sob observação na UPA Pampulha receberam alta nesta segunda-feira (16). Outro andarilho que foi atendido na UPA Nordeste também deixou o hospital. Três moradores de rua continuam em observação na UPA Pampulha e na UPA Centro-Sul, com quadro de saúde estável, conforme nota da secretaria de saúde.

Ainda segundo o delegado, o Instituto de Criminalística tem 30 dias para divulgar um laudo sobre a análise da garrafa de cachaça que foi apreendida. Ele diz acreditar que, por se tratar de um caso de repercussão, a perícia deve dar prioridade para este exame, já que ele pode revelar impressões digitais.

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) confirmou nesta segunda-feira (16) que a intoxicação foi causada por chumbinho . Um andarilho segue internado no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII e passou por exames. De acordo com a assessoria da unidade de saúde, o morador de rua apresenta quadro clínico estável nesta terça-feira (17) e está sob observação. Não há previsão de alta. O delegado diz que o laudo do hospital vai ser anexado ao inquérito, que foi aberto nesta segunda-feira (16).

A polícia conta também com o apoio de testemunhas, que terão a identificação preservada. Quem tiver informações pode ligar para o Disque Denúncia, pelo telefone 181.

Reintegração

A Secretaria de Assistência Social da prefeitura informou nesta terça-feira (17) que tenta reintegrar os moradores de rua que foram intoxicados às famílias. Caso não queiram, outra alternativa é encaminhá-los para um abrigo da prefeitura.

Ainda segundo a secretaria, um dos andarilhos que receberam alta nesta segunda-feira (16) retornou para a casa, após contato da prefeitura. Outro voltou para a praça e se recusou a ir para uma unidade de acolhimento da prefeitura. O órgão informou, ainda, que os outros dois andarilhos que receberam alta estão recebendo acompanhamento de técnicos da prefeitura, mas ainda não têm lugar para ficar.        

veja também