Deputados estudam criar "capital do bichinho de pelúcia" em SP

Deputados estudam criar "capital do bichinho de pelúcia" em SP

Atualizado: Quinta-feira, 20 Maio de 2010 as 11:55

Um projeto de lei em andamento na Assembleia Legislativa de São Paulo quer declarar a cidade de Tabatinga, a 331 km da capital paulista, a "Capital do Bichinho de Pelúcia, Acessórios Infantis e Enxovais para Bebês" no estado. A cidade é conhecida pelas fábricas e lojas dos artigos e realiza anualmente uma feira considerada uma das maiores do setor.

O projeto é de autoria do deputado estadual José Bittencourt (PDT). A realização da feira - chamada de Tabatinga Baby Show - e os produtos disponíveis nas lojas durante todo o ano atraem visitantes de todo o país.

Bittencourt afirma que a ideia partiu de conversas com lideranças e defende a relevância do projeto. "Se estão vendo  de modo depreciativo, têm de ver por outro lado. Tabatinga tem uma feira organizada, promovida em torno da produção de enxovais infantis e bichos de pelúcia."

Bittencourt, que é da região do ABC, afirma que o projeto não deve encontrar resistência. Depois de passar pelas comissões, se não houver oposição, pode ser submetido imediatamente à sanção pelo governador Alberto Goldman. Segundo Bittencourt, integrante da bancada evangélica, a cidade ganha em divulgação.

"Oxalá que todas as cidades que têm vocação natural para produzir determinado item do consumo humano pudessem também ter a possibilidade de divulgação de seus produtos. Por exemplo, Ibitinga tem outro projeto que tenta se declarar como capital do bordado."

Segundo a prefeitura, embora a economia da cidade de 14 mil habitantes ainda esteja ligada ao plantio de laranja e cana de açúcar, a indústria de bichinhos de pelúcia cresce rapidamente. Em 2009, 35 mil pessoas visitaram a feira realizada anualmente na cidade.

"O projeto de lei é fantástico. A cidade acaba ganhando não só projeção, mas definição de sua vocação. Passa a ser uma prioridade municipal desenvolver essa área. Muitos agricultores estão partindo para isso", afirma o presidente da câmara setorial de produtos infantis de Tabatinga, Antônio Diniz. Ele afirma que as 40 empresas da cidade ligadas a este segmento faturam cerca de R$ 50 milhões por ano e empregam pelo menos 3 mil funcionários.

De acordo com Diniz, um imigrante japonês iniciou a produção de pelúcia na cidade no final da década de 1990 e atraiu a mão-de-obra feminina, que tinha pouco espaço na agricultura. Produtor de móveis infantis há cinco anos, Diniz emprega sete funcionários.

veja também