MENU

Desabamento causa interdição de 11 casas na Zona Leste de SP

Desabamento causa interdição de 11 casas na Zona Leste de SP

Atualizado: Terça-feira, 14 Dezembro de 2010 as 11:51

O desabamento de parte da calçada e de um banheiro de uma casa na beira do córrego Sítio da Casa Pintada, na Vila Jacuí, Zona Leste de São Paulo, durante a chuva forte causou a interdição de 11 imóveis, afetando pelo menos 14 famílias, na tarde desta segunda-feira (13). As casas foram construídas na beira do córrego, e com o desabamento da calçada, parte delas ficou sem acesso. Na manhã desta terça-feira (14), equipes da Subprefeitura de São Miguel Paulista faziam uma vistoria.

Após o desabamento, o córrego ficou tomado por entulho. Um morador ficou ferido com o acidente – ele caiu no córrego quando a calçada começou a ceder e quebrou a perna. Foi o operador de máquina Aldair José Marques que o salvou.   “Sempre que chove eu fico de olho para ver se aparece alguma rachadura. Vi o vizinho e falei para ele sair de onde ele estava, porque o chão estava cedendo. Quando virei só vi desmoronando, ele caiu no meio do rio”, contou Marques. “Achei que ia cair tudo. Peguei uma corda, entrei na água e amarrei na cintura dele. Joguei a corda para o pessoal e conseguiram tirar ele”, disse o operador, que ainda estava mancando nesta manhã devido a uma batida na perna durante o resgate do vizinho.

De acordo com a Defesa Civil, o homem ferido foi socorrido para o Hospital Tide Setúbal com uma fratura exposta, e seria transferido nesta manhã para o Hospital do Tatuapé para a realização de uma cirurgia.

Área cedendo

Os moradores reclamam que os problemas nos imóveis começaram após obras de galerias pluviais no córrego, e que a Defesa Civil e a subprefeitura já vinham acompanhando o caso. “Antes podia chover o que fosse que não enchia, não tinha problema nas casas. Depois começou a rachar tudo, nas casas, nas calçadas”, contou Marques, que vive há 13 anos no local. “Meu filho mais velho ficou traumatizado, não quis voltar, ficou em uma vizinha. Fiquei tenso a noite toda pensando que ia cair mais.”

Como o problema já era antigo, a maior parte dos moradores já fica alerta quando começa a chover mais forte. O segurança Lucimar da Silva, de 36 anos, já estava fora de casa quando aconteceu o desabamento. “Estava do lado de fora, para poder correr se acontecesse algo. Foi muito rápido. Na hora da chuva desabou tudo de uma vez. Estamos com medo de o sobrado cair sobre as outras casas”, afrimou ele.

Ainda segundo a Defesa Civil, a área está instável e é possível ocorrer outros desabamentos. O maior temor é de que o sobrado citado pelo morador na parte oposta onde a calçada cedeu venha abaixo – o imóvel pesado abriga quatro casas, de pessoas da mesma família, e está com sua estrutura inclinada e com diversas rachaduras.   Dona do local, a aposentada Creonice Celestina Lima da Silva, de 72 anos, convive há alguns meses com rachaduras nas paredes, portas que não fecham mais e inclinação do piso. Nesta manhã, ela ainda não sabia o que ira fazer tendo que deixar sua casa. “Estou esperando a Prefeitura falar se vai ficar interditada mesmo. Agora que voltei para casa, passei a noite nos vizinhos. Ontem estava arrumando a cozinha quando o pessoal veio me tirar daqui por causa do desabamento.”

A Subprefeitura de São Miguel Paulista informou que engenheiros ainda estão avaliando a situação para determinar o que poderá ser feito, e que será realizado o cadastramento das famílias – possivelmente, elas serão incluídas no recebimento do aluguel social.    

veja também