MENU

DF faz primeira audiência de professor suspeito de matar aluna

DF faz primeira audiência de professor suspeito de matar aluna

Atualizado: Sexta-feira, 25 Novembro de 2011 as 9:20

Está marcada para começar a partir das 14h desta sexta-feira (25), no Tribunal de Júri de Brasília, a primeira audiência de instrução do processo em que o advogado e professor universitário Rendrik Vieira Rodrigues é acusado pelo homicídio da estudante Suênia Sousa Farias , morta no dia 30 de setembro.

De acordo com o Tribunal de Justiça, foram convocadas para prestar depoimento oito testemunhas de acusação. Nenhuma testemunha foi indicada pela defesa, que não teria apresentado os nomes no prazo hábil. Os advogados de Rodrigues informaram que só vão se pronunciar publicamente sobre o caso processualmente .

Nesta quinta-feira (24), a 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal negou um segundo pedido de habeas corpus para Rodrigues . Os advogados do professor universitário pediram, em caráter liminar, a suspensão do curso da ação penal, alegando que não poderiam fazer a defesa do professor por não conhecer as provas que estão sendo produzidas no processo. O desembargador que analisou o pedido, Romão Oliveira, afirmou que a presença ou não das provas nos autos não prejudica a defesa.

  No primeiro pedido de habeas corpus , o juiz Sandoval Gomes de Oliveira alegou que permaneciam inalterados os requisitos que fundamentaram o decreto da prisão preventiva de Rodrigues. A defesa do professor também entrou com pedido de relaxamento da prisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no TJDF. Ambos foram negados.

Rodrigues responde por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. A pena prevista é de 12 a 30 anos de prisão. Segundo a Polícia Civil, Rodrigues e Suênia teriam se conhecido no UniCEUB, onde ele lecionava e ela estudava. O relacionamento teria durado três meses, período em que ela estava separada do marido.

Insatisfeito com o fim do namoro, o professor pediu para conversar com a estudante, e os dois saíram de carro, de acordo com policiais. A polícia afirma também que Rodrigues disse em depoimento que alvejou a ex-namorada com três tiros. Após o crime, Rodrigues levou o corpo até a Delegacia de Polícia de Recanto das Emas, na periferia do Distrito Federal, e se entregou.          

veja também