Dias após temporal, moradores de Mauá ainda convivem com lama

Dias após temporal, moradores de Mauá ainda convivem com lama

Atualizado: Quinta-feira, 20 Janeiro de 2011 as 2:07

Moradores do Jardim Zaíra, em Mauá, no ABC, convivem com lama e sujeira dias após um temporal deixar o bairro alagado. Uma idosa morreu afogada na terça-feira (18), após tentar salvar os netos. A cidade está em situação de emergência.

A região foi a que teve mais óbitos na cidade: das seis vítimas por conta das chuvas, cinco morreram naquele bairro, segundo a Defesa Civil. “É um absurdo o que estão fazendo”, reclamou nesta quinta o motorista de caminhão José Humberto.

Na terça, o piscinão do Jardim Zaíra transbordou e invadiu casas, levando junto lama e lixo. Nesta quinta, a água havia baixado no piscinão, mas a sujeira estava nas ruas. Para não se sujar, os moradores tinham de caminhar com os pés cobertos com sacos plásticos.

  Para prevenir novos acidentes, o prefeito da cidade, Oswaldo Dias, disse na quarta que interditou mais de 400 casas. Questionado sobre o piscinão, ele afirmou que o problema é difícil de resolver. "Mexer significaria retirar tudo aquilo. E é impossível do ponto de vista financeiro. Não tem como mexer muito. Pode ter um acúmulo aqui e ali que pode ser limpo, um mato que pode ser tirado. Mas dos lados tem pedra e no fundo tem pedra. Não tem muito o que fazer."

Falta de água

Moradores de Mauá, no ABC, ainda sofrem com a falta d'água nesta quinta. O fornecimento foi prejudicado em função da chuva de terça, que provocou estragos em toda a cidade.

Segundo o serviço de Saneamento Básico do Município de Mauá (Sama), o temporal causou a queda de árvores, interrompendo o fornecimento de energia de estações onde funcionam o sistema de bombeamento de água. De acordo com o Sama, o serviço já foi normalizado em parte da cidade. A previsão é que o fornecimento de água seja normalizado até o final desta tarde em todo o município. O Sama não informou quantas pessoas ainda eram prejudicadas.

Enterro

O corpo de Antônia Avelaneda Grande, de 64 anos, foi enterrado na manhã desta quinta. A aposentada estava na cozinha quando a água invadiu sua casa. O marido dela também estava. Ele ficou ferido e foi socorrido para um hospital na região.

A mulher foi encontrada debaixo da geladeira. A casa ficou toda revirada, com lama por todos os lados. Uma vizinha chegou a ouvir os pedidos de socorro de Antônia, mas também estava ilhada e não conseguiu fazer nada. Antes de ser soterrada, a idosa tentou salvar os dois netos. Os dois sobreviveram.    

veja também