MENU

Dilma: "Brasil tem mercado interno de fazer inveja a muitos países"

Dilma: "Brasil tem mercado interno de fazer inveja a muitos países"

Atualizado: Terça-feira, 5 Julho de 2011 as 2:52

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (5), em Rondônia, que o Brasil hoje consegue enfrentar crises financeiras internacionais porque possui um “mercado interno de dar inveja”. Ela participou da cerimônia de início do desvio do Rio Madeira para a Usina Hidrelétrica de Santo Antônio.

“Sabe por que o Brasil hoje não vive a crise que vivia quando havia problema nas economias de outros países? Porque temos um mercado interno de fazer inveja em muitos países. Esse mercado interno é a capacidade dos brasileiros de gerar renda”, disse.

A presidente afirmou que o crescimento do Brasil nos últimos anos veio acompanhado de inclusão social, ao contrário, segundo ela, do que ocorreu em outros países em desenvolvimento.

“Nosso desenvolvimento é diferente do passado e de países parecidos com o nosso, como China, Índia e Rússia. Somos um dos países em que o crescimento veio acompanhado de uma melhoria significativa na distribuição de renda.” De acordo com ela, de 2003 a 2011, 39,5 milhões de brasileiros chegaram à classe média. “Uma Argentina inteira chegou à classe média”, comparou.

Energia

No evento, Dilma também destacou que as hidrelétricas em construção no Brasil, como a de Santo Antônio, garantirão segurança energética ao país. Segundo ela, outras fontes “limpas”, como as energia solar e eólica ainda são insuficientes para garantir o fornecimento de eletricidade.

“Tanto a energia solar como a eólica são ainda energias complementares. Elas não garantem desenvolvimento do país e a inclusão social. Não dão sustentação à energia elétrica, são energias complementares”, disse.

Segundo Dilma, a hidrelétrica de Santo Antônio vai ajudar na proteção do meio-ambiente, pois reduzirá a necessidade de utilização de termelétricas, grandes poluidoras. "Somos um país diferente, não somos igual aos outros países. Temos o potencial de termos grandes hidrelétricas. E temos consciência de utilizar esse potencial claramente em prol do meio-ambiente."

Para a presidente, as hidrelétricas contribuem ainda para a geração de renda e empregos. "Nós queremos um desenvolvimento diferente. Foi esse desenvolvimento que esse projeto também é fruto. Projeto que tem desenvolvimento gerando empregos e renda. Uma obra desse porte vai garantir energia para o nosso país continuar crescendo e incluir as pessoas. É um trabalho que fez com que 20 mil pessoas aqui conseguissem postos de trabalho", disse.

veja também