MENU

Dilma defende investimento em economia "ecologicamente correta"

Dilma defende investimento em economia "ecologicamente correta"

Atualizado: Segunda-feira, 31 Maio de 2010 as 5:04

A ex-ministra chefe da Casa Civil e pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, participou nesta segunda-feira (31) de um fórum em São Paulo a respeito das perspectivas para a economia brasileira. A petista defendeu o aprofundamento de iniciativas relacionadas à economia de baixo carbono, cuja principal característica é a menor emissão de gases responsáveis pelo aquecimento global.

Dilma citou vantagens ''comparativas'' que o Brasil possui na área de energia renovável e em práticas sustentáveis em relação a outros países. Entre elas, lembrou que os produtores brasileiros fazem a fixação de nitrogênio nas lavouras e também a rotação entre lavoura e pecuária. Ela defendeu ainda uma meta de redução do desmatamento na Amazônia e disse que o reflorestamento de áreas degradadas pode gerar ganhos de produtividade. Dilma afirmou que a redução do desmatamento é um compromisso ''independentemente [da posição] dos fóruns internacionais''.

A pré-candidata defendeu que o investimento em infraestrutura no país seja diversificado e que não seja um papel apenas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

''Não conseguiremos garantir o funding de infraestrutura sem a presença dos fundos de pensão atuando de forma mais forte'', disse, defendendo ainda o lançamento de debêntures e o financiamento privado de longo prazo.

''Não podemos deixar que só o BNDES financie a infraestrutura e as demais atividades industriais e econômicas do país'', disse. A ex-ministra previu que, até 2014, quando termina o próximo mandato da Presidência da República, a taxa de crescimento do PIB seja em torno de 5,5% e que a taxa agregada de investimento seja ampliada para 22%. Ela estima que, ao final do mesmo período, dívida pública corresponda a cerca de 30% da economia.

''Bônus demográfico''

A ministra proferiu a palestra ''Brasil, 5ª economia mundial. Como chegar até lá?''. No pronunciamento, voltou a defender a erradicação da pobreza, segundo ela, condição essencial para que o país seja alçado à condição de nação desenvolvida. ''Para o Brasil chegar lá é preciso que se mantenha a política de crescer e distribuir renda''.

Ela afirmou que o país tem uma vantagem única em relação a outros países, o chamado ''bônus demográfico''. ''A população ativa, em idade de trabalhar, é maior que a população dependente, de crianças e idosos. Isso significa que mais jovens podem contribuir paar o crescimento do país. (...) Educação de qualidade é a única forma de capitalizar esse bônus'', defendeu.

Tesoureiro

Dilma comentou ainda a condenação do ex-prefeito de Diadema José de Filippi Junior, nome cogitado para assumir o cargo de tesoureiro da campanha. Ele foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a devolver R$ 2,1 milhões para os cofres do município por contratação irregular de serviços de advocacia.

Questionada se a condenação afeta a participação do ex-prefeito na campanha, a petista afirmou que a coordenação executiva de campanha ainda avalia o assunto. Segundo Dilma, ele está em Harvard, nos EUA, e os líderes da campanha aguardam seu retorno para uma decisão. ''A coordenação de campanha está fazendo essa avaliação e esperando ele voltar de Harvard, onde está fazendo um curso, para fazer essa avaliação com ele sobre esse assunto'', disse.

Por Maria Angélica Oliveira

Postado por João Neto

veja também