MENU

Dilma participa de reunião sobre a situação da saúde no Brasil

Dilma participa de reunião sobre a situação da saúde no Brasil

Atualizado: Quinta-feira, 2 Dezembro de 2010 as 9:36

A presidente eleita, Dilma Rousseff, participou na tarde desta quarta-feira (1º) de uma reunião sobre a situação da saúde no Brasil. Ela chegou às 16h30 no Centro Cultural Banco do Brasil, sede do governo de transição. Cerca de 30 pessoas, entre técnicos na área e autoridades, participam das discussões.

Um dos expositores será o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. O médico Raul Cutait, do hospital Sírio-Libanês, que acompanhou Dilma no tratamento contra o câncer linfático, também participa do encontro. Já o secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, não compareceu à reunião porque está na Argentina para a inauguração da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no país vizinho.

Segundo o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), Côrtes, que é o idealizador das Unidades de Pronto tendimento (UPAs), foi convidado para assumir o Ministério da Saúde. O vice-presidente eleito e presidente do PMDB, Michel Temer, também cancelou a participação no seminário sobre saúde para participar de uma reunião da bancada do partido na Câmara dos Deputados.

O PMDB reivindica cinco ministérios no governo de Dilma Rousseff. Nesta manhã, Temer afirmou que as eventuais nomeações de Nelson Jobim para o ministério da Defesa e de Sérgio Côrtes para a pasta da Saúde são da cota pessoal da presidente eleita e não entram na cota do partido.

A reunião sobre saúde, que começou às 14h, servirá para coletar sugestões e informações sobre a saúde no país. O objetivo é orientar as ações do futuro governo no setor.

Esse é o segundo encontro temático promovido pela equipe de transição para ouvir especialistas e aprofundar discussões sobre as propostas do governo da presidenta eleita. O primeiro, realizado no último dia 18 de novembro, abordou o tema da erradicação da miséria. Como resultado, os participantes acordaram em criar um fórum permanente de discussões sobre a miséria no país.

Por: Nathalia Passarinho

veja também