MENU

Dilma prepara anúncios de Mantega, Belchior e Tombini como ministros

Dilma prepara anúncios de Mantega, Belchior e Tombini como ministros

Atualizado: Quarta-feira, 24 Novembro de 2010 as 10:26

A presidente eleita Dilma Rousseff deverá anunciar até esta quarta (24) os primeiros nomes do ministério do futuro governo: Guido Mantega para a Fazenda, Miriam Belchior para o Planejamento e Alexandre Tombini para presidente do Banco Central, cargo cujo ocupante tem status de ministro.

Logo depois de ter sido eleita, Dilma afirmou que iria anunciar o ministério em blocos. O primeiro bloco compreenderá os integrantes da equipe econômica. A preocupação é evitar que uma eventual demora na definição desses nomes alimente ainda mais especulações no mercado.

Mantega, atual ministro da Fazenda, deverá ser mantido. Ele tem participado de reuniões com a presidente eleita na Granja do Torto, onde ela está residindo atualmente. Com a reunião desta terça (23), foram três, desde a semana passada.

Miriam Belchior é a atual coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com a indicação dela, o Ministério do Planejamento assumiria a gestão do programa, atualmente vinculado à Casa Civil.

Alexandre Tombini é diretor de Normas do Banco Central. Ele deverá ser chamado para um encontro com Dilma até esta quarta, assim como o atual presidente do BC, Henrique Meirelles. Ela pretende fazer o anúncio somente após a conversa com Meirelles.

Saída de Meirelles

Henrique Meirelles dá seu trabalho por concluído na condução da autoridade monetária ao final do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no fim deste ano. Nesta terça-feira (23), interlocutores do Banco Central confirmaram ao G1 que Meirelles não permanecerá no comando da instituição no mandato da presidente Dilma Rousseff, que começa em 2011.

O presidente do BC pode anunciar sua saída ainda na manhã desta quarta-feira - antes, portanto, que Dilma Rousseff faça o anúncio da equipe escolhida. Meirelles está convidado para falar nesta quarta em sessão conjunta das comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O convite é para prestar esclarecimentos sobre a crise no Banco Panamericano.

veja também