MENU

Dilma propõe ações do 'Brasil sem Miséria' nas cidades

Dilma propõe ações do 'Brasil sem Miséria' nas cidades

Atualizado: Segunda-feira, 13 Junho de 2011 as 11:21

A presidente Dilma Rousseff disse na manhã desta segunda-feira (13), durante o seu programa de rádio "Café com a presidenta", que o programa "Brasil sem Miséria" oferecerá alternativas para a população melhorar a sua condição de vida.  Cursos de capacitação profissional, empréstimos e formação de cooperativas estão nos planos do programa.

"A miséria nas cidades tem várias causas: para algumas pessoas falta capacitação para conseguir emprego, outras recebem pouco pelo trabalho que fazem. Para esses trabalhadores, o ‘Brasil sem Miséria’ vai oferecer cursos de capacitação profissional, que alcançará até 1,7 milhões de jovens e adultos, e vai encaminhá-los para o mercado de trabalho. Vamos oferecer também crédito e incentivos para quem quiser abrir ou melhorar seu próprio negócio", disse a presidente durante o programa.

Dilma citou o exemplo dos catadores de papel ao demonstrar como o programa deve funcionar. "Os catadores de papel não conseguem, muitas vezes, fazer coleta do lixo em condições adequadas. A primeira coisa que vamos fazer é incentivar a organização produtiva, em cooperativa, dos catadores de materiais recicláveis para melhorar suas condições de trabalho e aumentar as suas oportunidades de ter uma renda", disse a presidente."Se oferecermos oportunidades de capacitação e apoiarmos a procura de emprego, abertura do próprio negócio, esses brasileiros terão oportunidade de sair da pobreza", completou.

Empresariado

O programa "Brasil sem Miséria", de acordo com a presidente, contará ainda com a participação do empresariado, com quem o governo está firmando acordos. "Os empresários vão ser parceiros do ‘Brasil sem Miséria’. Os supermercados, por exemplo, se comprometeram a contratar pessoas que recebem o Bolsa Família, como caixas, empacotadores, auxiliares. Estamos finalizando também um acordo com a Associação Brasileira de Supermercados para que eles comprem alimentos: frutas, verduras, grãos, leite, direto da Agricultura Familiar, e vendam nos supermercados", disse a presidente.          

veja também