MENU

Dilma sabe que disputa na Câmara é 'legítima', diz Mabel

Dilma sabe que disputa na Câmara é 'legítima', diz Mabel

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 9:52

No dia que antecede a eleição para a mesa diretora da Câmara, o deputado Sandro Mabel (PR-GO) protocolou no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (31), uma carta na qual comunica à presidente Dilma Rousseff que será eleito presidente da Casa. Para o deputado goiano, que disputa o comando da Câmara à revelia do seu partido e do próprio governo, Dilma "sabe" que a disputa entre ele e o petista Marco Maia (PT-RS) "é legítima".

A carta do deputado goiano foi entregue ao chefe de gabinete de Dilma, Giles Azevedo, porque a presidente está em viagem oficial na Argentina.

Questionado se retiraria o nome da disputa para atender a um apelo da presidente, Mabel disse não trabalhar com essa possibilidade: "A presidente é uma mulher democrata, ela não vai fazer esse apelo, porque ela sabe que é legítimo, na democracia, disputar. Ela sabe que somos da base, ela não vai fazer um apelo desse pra mim."

O deputado do PR voltou a afirmar que "vai até o fim" com a candidatura, mesmo que isso leve o PR a abrir processo de expulsão contra ele. A cúpula do partido deve anunciar ainda nesta segunda a sua posição sobre a candidatura avulsa de Mabel. O líder do partido na Câmara, deputado Lincoln Portela (MG) confirmou que todos os integrantes da Executiva Nacional da sigla estavam convocados para deliberar sobre a situação ainda nesta tarde.

Na carta endereçada a Dilma, Mabel faz um pedido à presidente para que ela adie o corte linear nas emendas individuais dos parlamentares. "Presidenta, as emendas individuais são o PAC da Câmara dos Deputados", diz na carta.

Mabel também avisa Dilma que, se for eleito, irá trabalhar para aprovar um projeto de lei que torne as emendas impositivas. "Assumo, como compromisso número 1, a aprovação de projeto que torne impositivas as emendas individuais", diz o texto.

O deputado do PR passou o fim de semana buscando votos em ligações e encontros com deputados. Nesta segunda, ele deve pedir voto em oito reuniões de bancada dos partidos. "Preciso ter votos suficientes para vencer a eleição e acredito que vou ganhar", disse Mabel, em entrevista no Salão Verde da Câmara.

Por: Robson Bonin

veja também