MENU

Distribuidoras pedem ajuda à PM para entrega de combustíveis em SP

Distribuidoras pedem ajuda à PM para entrega de combustíveis

Atualizado: Terça-feira, 6 Março de 2012 as 8:18

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) pediu na noite desta segunda-feira (5) ajuda à Polícia Militar para garantir que os motoristas que não aderiram à paralisação do setor possam trabalhar na manhã desta terça-feira (6). Eles pararam de abastecer os postos em protesto às novas restrições à circulação de caminhões na Marginal Tietê.

Nesta segunda, segundo o Sindicato dos Transportadores Rodoviários de Cargas Líquidas, nenhum caminhão de combustível circulou pela cidade. Já o sindicato das empresas distribuidoras disse ao Bom Dia São Paulo que 80% dos postos da cidade de São Paulo não foram abastecidos. Nenhum caminhão saiu das três principais distribuidoras da capital paulista nesta segunda.

Os motoristas alegam que a restrição na Marginal Tietê, das 5h às 9h e das 17h às 22h – aumenta os custos do trabalho, pois as viagens ficam mais longas. Além disso, o número de viagens que podem ser feitas por dia é reduzido, devido aos horários proibidos.

Como sexta, sábado e domingo são os dias de maior movimento, os estoques dos postos, em geral, estão baixos. Com isso, muitos postos já estão sem alguns combustíveis, e outros devem começar a ser afetados nesta terça. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), outros setores podem começar a ser afetados, como hospitais, transportadoras e empresas de ônibus.

Comunicado divulgado na noite desta segunda pela Secretaria Municipal de Transportes afirma que a CET, após realizar reuniões com representantes das indústrias, sindicatos e empresas de transporte, decidiu manter o horário das restrições. “O período de oito horas [das 9h às 17h, quando o tráfego está liberado nas vias] representa uma jornada de trabalho do caminhoneiro e, com isso, ele poderá fazer a entrega dos produtos pela cidade durante o dia e retornar ao seu destino. No período da noite e madrugada, os motoristas de caminhões terão sete horas para transitarem”, diz a nota.

Exceções

No Diário Oficial da Cidade de São Paulo desta segunda-feira, a Prefeitura listou os caminhões que não sofrerão restrições. Poderão circular sem qualquer impedimento os caminhões de urgência, socorro mecânico de emergência, cobertura jornalística, obras e prestação de serviços de emergência, Correios, que fazem acesso a estacionamento próprio (mediante porte de autorização especial) e que prestam serviço emergencial de sinalização de trânsito.

No horário das 5h às 9h será permitirá o tráfego de caminhões de concretagem e concretagem-bomba, feiras livres (mediante porte de autorização especial), mudança (mediante porte de autorização especial), coleta de lixo, transporte de produtos alimentícios perecíveis (mediante porte de autorização especial), obras e serviços de infraestrutura urbana.

No período das 5h às 9h e das 17h às 18h será permitido o tráfego de caminhões que fazem remoção de terra em obras civis, e no período das 17h às 20h, veículos que fazem o transporte de valores.

Também estarão livre das restrições no horário das 5h às 9h os caminhões que fazem o transporte de máquinas, equipamentos e materiais básicos para a construção civil.

veja também